Mil pessoas em protesto contra falta de pessoal em escola secundária de Palmela

Devido à falta de pessoal alguns serviços da secretaria e do bar são, por vezes, assegurados por professores e pela direção ou são encerrados temporariamente

Cerca de mil pessoas, incluindo pais, encarregados de educação e alunos, participaram hoje de manhã numa ação de protesto para exigir mais assistentes operacionais e técnicos administrativos na Escola Secundária do Pinhal Novo, em Palmela, no distrito de Setúbal.

"De acordo com a avaliação da GNR, estiveram mais de mil pessoas nesta ação de protesto que decorreu, de forma ordeira, junto ao portão de entrada da escola", disse à agência Lusa o presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária do Pinhal Novo, José Luís Reis.

O representante indicou que o Ministério da Educação colocou nesta escola 29 assistentes operacionais (nove dos quais estão de baixa) e 10 técnicos administrativos (quatro de baixa).

Os números "estão de acordo com os critérios estabelecidos em função dos 1.654 alunos deste estabelecimento de ensino, mas são insuficientes face ao redimensionamento da escola efetuado pela Parque Escolar em 2013", acrescentou.

Segundo José Luís Reis, devido à falta de pessoal alguns serviços da secretaria e do bar são, por vezes, assegurados por professores e pela direção da escola ou acabam mesmo por ser encerrados temporariamente.

"Promovemos esta ação de protesto para sensibilizar o Ministério da Educação para a necessidade de resolver o problema antes de se iniciar o próximo ano letivo. Acreditamos que esse objetivo foi plenamente conseguido", concluiu o presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária do Pinhal Novo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG