Menino japonês que passou seis dias perdido na floresta "perdoa o pai"

Por "castigo", pais deixaram-no sozinho na floresta e acabou por se perder. Caminhou a chorar durante horas e esteve escondido num antigo abrigo militar

Yamato Tanooka, o menino de sete anos que esteve durante seis dias perdido numa floresta no Japão, depois de ter sido "castigado" pelos pais, saiu esta terça-feira do hospital. Yamato foi internado por estar com uma ligeira desidratação, já que ao longo do período em que esteve desaparecido conseguiu apenas beber água de uma torneira que estava no abrigo militar onde se refugiou, sem ingerir qualquer alimento. Além de pequenos arranhões, estava de perfeita saúde.

Apesar dos dias difíceis por que passou, a criança já perdoou o pai: em entrevista à televisão japonesa, o pai de Yamato, Takayuki Tanooka, de 44 anos, revelou que pediu desculpa ao filho por tê-lo deixado sozinho, ao que o menino respondeu: "És um bom pai. Eu perdoo-te".

Takayuki e a mulher decidiram castigar o filho, que atirara pedras às pessoas e aos carros, deixando-o sozinho por alguns minutos numa zona remota de floresta. Quando regressam para o levar de volta a casa, já não o encontraram. Pediram então ajuda às autoridades, mas inicialmente não contaram a versão completa dos acontecimentos. Decidiram não referir que estavam a castigar o filho e disseram à polícia que tinham perdido a criança de vista durante um passeio.

Só depois admitiram que estavam a tentar "disciplinar" a criança, tendo sido severamente criticados pela opinião pública. O caso levou a um aceso debate sobre disciplina parental no Japão, apesar de muitos admitirem "compreender" a frustração dos pais que não conseguiam fazer com que o filho se comportasse.

Segundo o The Guardian, as autoridades locais não vão avançar com um processo criminal contra os pais de Yamato, mas o caso será reportado aos serviços sociais.

Esta terça-feira, o menino de sete anos deixou o hospital em Hokkaido - a segunda maior ilha do arquipélago do Japão - com um sorriso e disse aos repórteres que o aguardavam que está ansioso por regressar à escola. Consigo, trazia uma bola de basebol feita de papel, escrita com mensagens de incentivo.

Várias equipas de resgate levaram quase uma semana a passar a floresta a pente fino até conseguirem encontrar Yamato, que estava escondido num antigo abrigo militar de um campo de treino do exército, a cerca de cinco quilómetros do local onde tinha desaparecido. Segundo a imprensa japonesa, o rapaz começou a caminhar logo após ser deixado pelos pais, desorientado e a chorar. Andou durante cinco horas até chegar ao abrigo, onde se refugiou. Dormiu entre dois colchões, para se aquecer, e foi bebendo água de uma torneira no exterior da espécie de cabana militar. Yamato terá ainda admitido que não viu ninguém durante o período em que esteve desaparecido e nunca saiu do abrigo, apesar de a zona ter sido várias vezes sobrevoada pelos helicópteros utilizados pelas equipas de busca.

Nas redes sociais, vários têm elogiado as capacidades de sobrevivência que Yamato demonstrou, e há mesmo quem o aponte como futuro candidato a servir o exército japonês.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG