Média de novos casos em Portugal aumenta após nove semanas a cair

Boletim da Direção-Geral de Saúde deste domingo dá conta de mais 193 casos e quatro mortes. Há 517 pessoas hospitalizadas, mais cinco que no dia anterior.

Nas últimas 24 horas registaram-se em Portugal mais 193 casos de infeção pelo novo coronavírus, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) relativo a este domingo (4 de abril). O documento dá também conta de mais 4 mortes por covid-19.

O número de novos contágios é o mais baixo desde 25 de agosto, há sete meses (mas estes números podem ter alguma influência do fim de semana prolongado, necessariamente com menos testes realizados).

Já a média semanal de novos casos mostra que, após nove semanas sempre a cair, o número de contágios voltou agora a subir. A última vez que se registou uma subida no acumulado da semana foi em janeiro, na comparação entre os períodos de 11 a 17 com a semana de 18 a 24 de janeiro.

Nesta última semana (de segunda a domingo), verificou-se um total de 2928 casos, uma média diária de 418,2 novos casos. Na semana anterior, entre 22 e 28 de março, o total de casos foi de 2877, uma média diária de 411 contágios.

Nos hospitais portugueses há agora 517 doentes, mais cinco que ontem. Deste total, 117 estão em unidades de cuidados intensivos, menos 9 que os registados no boletim anterior. É preciso recuar até 8 de outubro para encontrar um número mais baixo.

349 pessoas recuperaram da doença, para um total de 780 322 recuperados. Há agora 26 134 casos ativos de covid-19 em Portugal, menos 160 que no dia anterior. Há também 15 960 contactos em vigilância.

Em termos geográficos, a região de Lisboa e Vale do Tejo é responsável por 57,5% dos novos contágios (111 no total de 193), e 75% dos óbitos (três dos quatro registados nas últimas 24 horas). A região norte teve 30 contágios e uma morte.

Na região centro há 19 novos casos, no Alentejo 14 e no Algarve. Nas regiões autónomas os Açores não contabilizaram novos casos. Na Madeira foram 14.

Na manhã deste domingo, o presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, de 59 anos, morreu em consequência de complicações respiratórias decorrentes da covid-19. O autarca estava internado na Unidade de Cuidados Intensivos do Centro Hospitalar Tondela-Viseu desde 10 de março. O Presidente da República, da Assembleia da República, o PSD e o Governo já vieram manifestar pesar e consternação pela morte de Almeida Henriques.

Segunda-feira, os novos passos do desconfinamento

Dados de um domingo de Páscoa em vésperas do dia em que Portugal desconfina mais um pouco. A partir desta segunda-feira o 2º e 3º ciclo do ensino básico retomam as aulas presenciais, abrindo também os centros de atividades e tempos livres para estas idades, assim como os centros de estudo.

Reabrem os centros de dia para os idosos, bem como os equipamentos de apoio às pessoas com deficiência.

O dia de amanhã marca também a reabertura das esplanadas, que passam a poder servir almoços e jantares, a grupos com um máximo de quatro pessoas. O serviço de restauração em esplanada poderá funcionar de segunda a sexta-feira até às 22.30h e ao fim-de-semana até às 13 horas.

As lojas com porta para a rua, com menos de 200 metros quadrados, também reabrem portas, terminando a proibição de vendas apenas ao postigo.

Museus, monumentos, salas de exposições e galerias de arte já podem ser visitadas a partir de amanhã. Durante a semana poderão ficar abertos até às 22.30h, ao sábados, domingos e feriados têm de encerrar às 13 horas.

Os ginásios também voltam a abrir portas, mas as aulas de grupo continuam interditas. A prática de desporto em espaço livre pode agora juntar até 4 pessoas.

Pandemia já causou a morte a 2,8 milhões de pessoas

A pandemia de covid-19 já causou a morte a pelo menos 2.847.182 pessoas no mundo, de acordo com a contabilização da agência France-Presse (AFP), que se reporta às 11 horas deste domingo.

Segundo a agência, mais de 130 milhões de casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia, números que se baseiam nos balanços comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país.

No sábado, foram registadas mais 8.985 mortes e 535.740 novas infeções. Os países que registaram mais óbitos foram o Brasil (1.987), os Estados Unidos (800) e a Índia (513).

Os Estados Unidos são o país mais afetado, quer em número de mortes quer de casos, com 554.779 mortes para 30.671.844 casos registados, de acordo com a contabilização da universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, surge o Brasil, com 330.193 mortes e 12.953.597 casos, o México, com 204.011 mortes e 2,2 milhões de casos, a Índia, com 164.623 mortos e mais de 12 milhões de casos e o Reino Unido, com 126.826 mortos e 4,3 milhões de contágios.

A República Checa é o que tem o maior número de mortes em relação à sua população, com 252 mortes por 100.000 habitantes, seguida pela Hungria (223), Montenegro (207), Bósnia-Herzegovina (206) e Bélgica (199).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG