Vice-presidente do Braga recebe milhões para limpar rio onde é acusado de fazer descargas

Gaspar Borges é líder no tratamento de águas de Guimarães mas é simultaneamente líder nas queixas investigadas pela GNR relativamente a poluição ambiental

A pedreira Nicolau de Macedo, pertencente a Gaspar Borges (vice-presidente do Sporting de Braga), é campeã nas queixas investigadas pela GNR relativamente a poluição ambiental, segundo avança o Jornal de Notícias, mas o dirigente desportivo é também responsável pelo Sistema Integrado de Despoluição do Vale do Ave (SIDVA), que recebe milhões de euros das empresas para tratar das águas residuais das indústrias.

Gaspar Borges é responsável nas empresas que despoluem o rio através da construtora ABB, que adquiriu, em 2008, a empresa privada Aquapor, que tem a concessão de águas de dezenas de municípios. A Aquapor é ainda acionista maioritária da Tratave que, por sua vez, detém a concessão do SIDVA até 2013.

Esta concessão significa a exploração das três estações de resíduos do Ave e a cobrança, a todas as indústrias ali ligadas, de 56 cêntimos por cada mil litros de água suja tratada.

No entanto, como já foi referido, Gaspar Borges lidera a empresa que tem mais autos de notícia e contraordenação por atentados ambientais, cerca de 20. A pedreira Nicolau de Macedo, em setembro do ano passado, esteve mesmo proibida de cortar pedra, após ter feito grandes descargas ilegais. Neste momento, existe um processo criminal a decorrer no tribunal de Guimarães. E ainda ontem a câmara de Guimarães a condenar uma nova descarga poluente no rio Ave, que moradores atribuem à mesma empresa.

Exclusivos