Veja as casas de sonho do Airbnb em Cuba

Um ano depois de estender o serviço à ilha das caraíbas, o Airbnb já tem centenas de casas e quartos para alugar

O Airbnb chegou a Cuba há quase um ano, com uma autorização especial do departamento de Estado norte-americano, e em 12 meses conseguiu centenas de casas e quartos para alugar. Há preços para todas as bolsas: dos 9 euros por uma cama num quarto partilhado a uma casa de 3291 euros, em Havana.

O próprio serviço Airbnb elaborou uma "wish list", uma espécie de lista de sonho, com algumas das casas mais desejadas disponíveis na ilha das Caraíbas. Curiosamente o site disponibiliza mais casas para os utilizadores dos Estados Unidos - é que depois da aproximação entre os Estados Unidos e Cuba, iniciado por Obama e pelo presidente Raul Castro em dezembro de 2014, o número de visitas de norte-americanos a Cuba aumentou 77% em 2015, para 161 mil visitantes. E Cuba espera um aumento semelhante este ano.

Veja cinco ou a lista completa.

La Rosa de Ortega

Um quarto neste B&B custa cerca de 55 euros por noite (mais taxas). Julia e Silvio identificam-se como um casal de profissionais cubanos que começou a trabalhar na hotelaria nos anos 90.

Colonial House

Um quarto nesta casa em Havana custa cerca de 40 euros (mais taxas).

La Colonial 1861

Outra casa em Havana que reclama para si a tradição colonial. O preço é cerca de 41 euros por noite (mais taxas).

Colonial house 1923

Há três quartos para alugar nesta casa em Havana, a 150 euros por noite.

Melvis House

Este apartamento com vista para Havana Bay e para quatro pessoas custa 64 euros por noite.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".