Touros de morte. Festas arrancam domingo para cumprir tradição

Touradas de morte, o "prato forte" das Festas de Barrancos e as únicas legais em Portugal, graças a um regime de exceção aprovado em 2002, começam na segunda-feira.

Quatro toureiros espanhóis e um português vão lidar os animais das touradas de morte das Festas de Barrancos deste ano, que começam no domingo, para cumprir uma tradição legalizada há 14 anos.

A "Fêra de Barrancos", que se tornou "famosa" devido aos touros de morte e que mistura celebrações religiosas e divertimentos pagãos em honra de Nossa Senhora da Conceição, a padroeira da vila raiana do distrito de Beja, no Alentejo, vai decorrer até quarta-feira.

Como "manda" a tradição, o "pontapé de saída" das festas, organizadas pela Comissão de Festas de Barrancos, vai ser dado no domingo, feriado municipal, às 08:00, com a tradicional alvorada, animada pela Banda Filarmónica Fim de Século de Barrancos, seguindo-se as celebrações religiosas, uma missa, às 11:00, e uma procissão, às 18:00.

As touradas de morte, o "prato forte" das Festas de Barrancos e as únicas legais em Portugal, graças a um regime de exceção aprovado em 2002, começam na segunda-feira.

Após as celebrações religiosas do primeiro dia, os divertimentos pagãos vão dominar os restantes três dias das festas, que começam sempre às 08:00 com os tradicionais "encerros", através dos quais os touros a lidar nas touradas de morte serão conduzidos até aos curros da praça de touros.

Entre segunda e quarta-feira, a partir das 18:00, as touradas de morte, "abrilhantadas" pela Banda Filarmónica Fim de Século, prometem encher a "mítica" arena de Barrancos, a improvisada praça de touros, que, anualmente, é construída de propósito para as festas, na Praça da Liberdade, no centro da vila.

Na segunda-feira, os toureiros espanhóis Luís Miguel Amado e Iván Abásolo Calvo, o triunfador das festas do ano passado, vão lidar os dois touros de morte da corrida inaugural.

Na terça-feira, os dois touros de morte da segunda corrida vão ser lidados pelo toureiro espanhol Juan C. Benitez e pelo português Diogo Peseiro.

Na terceira e última corrida, na quarta-feira, o toureiro espanhol David Martin vai lidar o quinto e último touro de morte da "fêra" de Barrancos deste ano.

Também como "manda" a tradição, a última corrida termina com a lide de uma vaca pelos espetadores e aficionados mais atrevidos e aventureiros e que é morta na arena no meio de uma roda de pessoas.

O programa da "Fêra de Barrancos" prolonga-se pelas noites fora com espetáculos musicais de grupos e artistas portugueses e espanhóis, sempre a partir das 22:00, na Praça da Liberdade, seguidos de bailes, a partir das 00:00, no Quintalão de Festas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.