Startup que quer pôr 'robots' a ensinar crianças vence 'pitch'

Kubo, o robô educacional da Dinamarca que propõe ensinar programação a crianças foi a 'startup' vencedora e vai receber 100 mil euros de investimento

A 'startup' dinamarquesa Kubo Robot foi a 'startup' vencedora da competição de 'pitch' na Web Summit 2016 e vai receber 100 mil euros de investimento da sociedade de capital de risco pública Portugal Ventures.

O anúncio foi feito por Theresia Gouw, sócia fundadora da Aspect Ventures e um dos elementos do júri, que avaliou os três finalistas e que subiu ao palco com o fundador da Web Summit, o irlandês Paddy Cosgrave.

Ao longo dos últimos dois dias, 200 'startups' (empresas em início de atividade) batalharam intensivamente pelo prémio, mas apenas três chegaram à competição de 'pitch', onde tinha de fazer breve apresentação de uma empresa de três a cinco minutos: a Kubo Robot, a SoilTron e a PapayaPods.

O Kubo é um robô educacional oriundo da Dinamarca e propõe-se ensinar programação a crianças. Começou como um projeto do Laboratório de Tecnologia Social da Universidade da Dinamarca do Sul com o objetivo de desenvolver novas formas de ensinar tecnologia às crianças mais jovens.

A 'startup' do Chipre, SoilTron, apresentou-se como uma tecnologia revolucionária capaz de produzir eletricidade ilimitada a partir do solo e que pode ser integrada com várias aplicações.

A PapayaPods, que nasceu na Suíça, é uma plataforma grátis direcionada para o mercado de arrendamento que pode ser utilizada por quem tem casas para alugar ou por quem anda à procura de um espaço.

A 'startup' vencedora vai receber 100 mil euros de investimento da sociedade de capital de risco pública Portugal Ventures.

Os vencedores foram escolhidos por Theresia Gouw, Steve Anderson, fundador da Baseline Ventures, e Marcus Segal, sócio do acelerador Y Combinator.

O vencedor beneficiará também da rede nacional e internacional de investidores, corporações, entre outros, da Portugal Ventures em Silicon Valley, na Costa Leste dos Estados Unidos, na Alemanha e no Reino Unido.

A 'startup' portuguesa Codacy foi a vencedora do 'pitch' da Web Summit de 2014.

A Portugal Ventures também promoveu a Venture Summit, a principal conferência da Web Summit para capitais de risco, que trouxe a Lisboa mais de 500 participantes, entre os investidores mais influentes dos principais fundos internacionais, 'business angels' (investidores privados e individuais) de topo e aceleradores, num evento de apenas um dia e numa sala onde estava representado mais de 100 mil milhões de dólares (perto de 92 mil milhões de euros) de capital de investimento.

A Web Summit de Lisboa, que arrancou na segunda-feira e chega esta quinta-feira ao fim, conta com mais de 53.000 participantes, de 166 países, incluindo 15.000 empresas, 7.000 presidentes executivos e 700 investidores.

Entre os oradores estão fundadores e presidentes executivos das maiores empresas de tecnologia, bem como importantes personalidades das áreas de desporto, moda e música.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.