Sindicatos da PSP formam união para exigir descongelamento das carreiras

De acordo com a União dos Sindicatos da PSP, esta "união visa defender os direitos de todos" os polícias no que diz respeito às carreiras dos agentes, chefes e oficiais

Os sindicatos da PSP juntaram-se para constituir a União dos Sindicatos da PSP (USP) com o objetivo de realizarem iniciativas em conjunto para exigir ao Governo o descongelamento das carreiras dos polícias, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado, a USP adianta que esta estrutura é composta por todos os sindicatos da Polícia de Segurança Pública e esta "união visa exclusivamente defender os direitos de todos" os polícias no que diz respeito às carreiras dos agentes, chefes e oficiais.

Segundo a USP, as estruturas sindicais da polícia estiveram reunidas esta semana e decidiram realizar várias iniciativas conjuntas para exigir ao Governo que descongele a carreira de todos os elementos da PSP no próximo Orçamento do Estado de 2018

"Não é aceitável que não sejam descongeladas as carreiras, nem atualizado o sistema remuneratório da grande maioria dos polícias desde 2005, apesar do novo Estatuto Pessoal da PSP, aprovado em 2015, contemplar tal medida", refere a USP, sem especificar as iniciativas a adotar.

A PSP tem 14 sindicatos e é a primeira vez que se juntam.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.