Segurança português assassinado na Venezuela

Cidadão português estaria a tentar impedir a entrada de assaltantes num armazém quando foi morto

Um segurança de nacionalidade portuguesa, de 45 anos, foi assassinado segunda-feira à noite por desconhecidos que tentaram roubar um armazém de mercadorias na localidade venezuelana de Los Teques, a sul de Caracas.

Segundo fontes da comunidade lusa local, Ricardo Vieira de Freitas foi alvejado com vários tiros no edifício Venezuela, um dos mais antigos de Los Teques.

Fontes policiais disseram que o cidadão português teria tentado impedir a entrada dos assaltantes e que o corpo foi encontrado hoje de manhã.

O caso está a ser investigado pelo Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas, antiga Polícia Técnica Judiciária da Venezuela.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.