Estes são os nomes mais populares de 2016

João tinha o primeiro lugar do pódio há três anos, mas em 2016 foi destronado por Santiago. Nas meninas não há novidade e Maria continua a reinar

"Sempre quis ter uma filha com o meu nome." Mãe pela sétima vez em setembro do ano passado, Maria Joana deu o seu nome à filha. Indiferente aos tops, escolheu para a bebé dois dos nomes mais registados em 2016: Maria, que ficou em 1.º lugar com 5640 registos, e Joana, em 15.º, com 625: "Não é algo que nos chateie." De resto, todos os outros filhos têm o nome mais popular em Portugal: Maria do Carmo, Maria Madalena, Maria Teresa, José Maria, Tomás Maria e Luís Maria. "Gostamos do nome e queríamos que tivessem o nome da Nossa Senhora."

Veja a lista completa aqui*

Há três anos que Portugal era o país das Marias e dos Joões. Elas continuam a liderar, mas eles foram destronados no ano passado. De acordo com os dados cedidos ao DN pelo Ministério da Justiça, Santiago foi o nome mais popular entre os rapazes, com 2084 registos, seguindo-se João (1773) e Francisco (1687). Em quarto lugar está agora Rodrigo, que desceu uma posição, e em quinto Martim.

Santiago venceu João e Maria mantém-se no top

Ana Filipa Dias é mãe de um dos Franciscos registados em Portugal em 2016. Até às 20 semanas de gestação, estava convencida de que ia ter uma menina, à qual ia dar o nome da avó: Maria Francisca. Quando descobriu que afinal estava grávida de um menino, o filho mais velho, José Pedro, arranjou rapidamente uma solução: "Disse que ficava Francisco." Assim foi: a 12 de outubro nasceu Francisco Pedro.

Na família, contam-se vários: "Há uma tradição de ir buscar nomes de pessoas que nos são queridas."
No que diz respeito às meninas, Matilde subiu ao segundo lugar, com 1835 registos, ultrapassando Leonor, que desceu agora para terceiro, com 1783. Nas posições seguintes também houve alterações, embora com uma diferença mínima: Carolina passou para o quarto lugar (1174) e Beatriz desceu para o quinto (1154).

Uma das Matildes foi registada por Bruno Gonçalves e Marisa, em outubro. Mesmo antes de Marisa engravidar, o nome já estava escolhido, uma vez que tinham decidido que o filho - fosse rapaz ou rapariga - teria as iniciais dos nomes dos pais. "Quando pesquisámos o significado do nome é que percebemos que já tinha sido um dos mais escolhidos em 2015. Mas isso não foi impeditivo", conta Bruno. Este ano, já sabem que haverá pelo menos mais uma Matilde em Portugal, pois têm um colega que vai ser pai pela segunda vez e que vai dar o mesmo nome à filha.

No total, o documento disponibilizado ao DN tem 4000 nomes diferentes. Entre os menos comuns estão nomes como Zara e Samaritana nas raparigas e Suaré e Jordan nos rapazes.

(*A lista dos Açores foi fornecida separada e é possível consultá-la aqui)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.