Rússia envia dois aviões Beriev para ajudar no combate às chamas

Os meios foram enviados em resposta ao pedido de ajuda internacional. Marcelo diz que não houve "má vontade" da UE

Dois aviões pesados Beriev chegam na madrugada a Portugal vindos da Rússia, ao abrigo do protocolo de proteção civil assinado entre os dois países, disse à Lusa fonte do Ministério da Administração Interna.

Os dois aviões deverão chegar à base aérea de Monte Real, distrito de Leiria, entre as 04:00 e as 05:00 de sábado, sendo depois deslocados para os locais onde o comando nacional de proteção civil entender serem mais necessários no combate aos incêndios florestais.

O Beriev Be-200 Altair é uma aeronave anfíbia utilizada para combate a incêndios, busca e salvamento, patrulha marítima, carga, e transporte de passageiros, tendo uma capacidade de 12 toneladas (12.000 litros) de água, ou até 72 passageiros.

Marcelo: Não houve "má vontade" europeia na ajuda

Portugal acionou o mecanismo europeu de proteção civil mas, além dos dois Canadair espanhóis que já estavam em ação no Norte de Portugal, foi enviado apenas um Canadair vindo de Itália para ajudar no combate às chamas. O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa afirmou esta sexta-feira não acreditar que tenha havido "má vontade" por parte da União Europeia.

Marcelo Rebelo de Sousa louvou ainda a resposta rápida de Espanha, Itália, Marrocos e Rússia. "É uma resposta que, não sendo massiva, vem ajudar significativamente a intervenção das forças no terreno", afirmou, no final de uma reunião com o presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares.

Ministra desiludida com parceiros europeus

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, afirmou esta quinta-feira estar "à espera de uma maior solidariedade dos parceiros europeus".

Constança Urbano de Sousa louvou ainda a resposta rápida de Marrocos que, não pertencendo à União Europeia, emprestou prontamente dois Canadair. "Ontem [quarta-feira] à noite, às 19.30, falei com o ministro do Interior marroquino, e hoje de manhã já estavam os dois Canadair marroquinos a operar aqui em Castelo de Paiva", afirmou.

Bruxelas: há incêndios em vários Estados-membros

A União Europeia, em reação aos comentários da ministra, justificou a ajuda limitada com o facto de haverem incêndios em vários Estados-membros. "Consequentemente, a disponibilidade de aviões é muito limitada", disse à agência Lusa um porta-voz da UE.

O porta-voz afirmou que há uma "forte tradição de solidariedade e generosidade entre os Estados-membros" em relação ao combate a incêndios e a disponibilidade de meios, sublinhando que os países não costumam recusar os pedidos de ajuda."Os Estados-membros não podem mobilizar mais aviões do que aqueles que realmente têm para si ou para ajudar os seus parceiros europeus", vincou.

Aveiro é o distrito que mobiliza mais meios

O distrito de Aveiro era às 10.00 de hoje a zona de Portugal continental que mais meios mobilizava no combate às chamas, com mais de mil operacionais no terreno e vários meios aéreos, segundo a Proteção Civil. Na lista de "ocorrências importantes" destacadas na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (com mais de três horas e mais de 15 meios de socorro), apenas relativas ao continente, o distrito de Aveiro surge com quatro incêndios ativas.

Às 10.00, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), destacava sete incêndios ativos: quatro no distrito de Aveiro, dois em Vila Real e um em Viana do Castelo.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub