PSP deteve três suspeitas de integrar rede de carteiristas

A PSP do Porto anunciou hoje ter detido, no Cais de Gaia, em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, três mulheres suspeitas de integrar uma rede que se dedica ao furto de carteiras.

As mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e os 21 anos, "sem atividade profissional e sem residência fixa" em Portugal, estavam referenciadas por "crimes contra o património" e foram detidas durante "mais uma operação policial" da Divisão de Investigação Criminal para a "desagregação de grupos de indivíduos que de forma organizada se dedicam à prática dos crimes de furto de carteiras", esclarece a PSP, em comunicado.

De acordo com o Comando Metropolitano do Porto da PSP, a detenção aconteceu pelas 17:40 de quinta-feira depois as suspeitas "subtraírem, através da astúcia", a carteira "a um casal de turistas de 64 anos de idade".

Na posse das mulheres, a PSP encontrou, e apreendeu, "140 euros em dinheiro, uma bolsa de senhora, uma carteira contendo documentação de identificação e bancária e uma máquina fotográfica".

"As mulheres subtraíram a carteira a um casal de turistas, pelo que foram de imediato intercetadas" e detidas, acrescenta a PSP, indicando que "os bens recuperados foram entregues às vítimas".

No comunicado, a PSP recomenda a todos a prevenção de furtos pelo método carteirista, assinalando que "tem verificado que, frequentemente", as pessoas "não tomam as precauções devidas para evitar/dificultar" este tipo de delitos.

Para a PSP, o mais adequado é "levar sempre a carteira dentro do casaco ou nos bolsos da frente das calças e nunca dentro de uma mochila".

A polícia alerta, ainda, que "podem ser criados incidentes, dissimulados ou não", para distrair a pessoa com vista ao furto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...