Polícia detém condutor de camião de gás roubado que queria entrar em contramão

Durante a fuga a alta velocidade o camião foi perdendo algumas das botijas, tendo provocado estragos em vários carros e ferimentos leves numa mulher

A polícia regional da Catalunha (Mossos d'Esquadra) e a Guarda Urbana detiveram hoje o condutor de um camião de gás butano roubado, tendo disparado contra ele, quando este tentava entrar em sentido contrário numa via movimentada de Barcelona.

A polícia está a investigar as circunstâncias e as motivações do condutor, que tentou entrar em sentido contrário na Ronda Litoral de Barcelona, uma via marginal que contorna a cidade e passa em frente às praias da cidade.

Tudo começou às 10:40 da manhã (9:40 em Lisboa) quando um homem de nacionalidade sueca roubou um camião de butano, na rua Vilà Vilà, de Barcelona, aproveitando o facto de o responsável pelo veículo estar ocupado a distribuir as botijas de gás.

Fontes ligadas à investigação, citadas pela agência espanhola Efe, realçaram que durante a fuga a alta velocidade o camião foi perdendo algumas das botijas, tendo provocado estragos em vários veículos e ferimentos leves numa mulher.

As unidades dos Mossos d'Esquadra e da Guarda Urbana de Barcelona (polícia municipal) deram ordem ao condutor para que este parasse, mas tiveram de efetuar vários disparos até finalmente deter a marcha do camião.

Apesar dos vários tiros disparados pela polícia catalã, o condutor do camião saiu ileso.

Os Mossos d'Esquadra abriram uma investigação sobre o incidente, mas recusam de momento descartar qualquer hipótese.

As cidades de Nice (França) e Berlim (Alemanha) foram alvos de ataques nos quais terroristas islâmicos usaram camiões para atropelar dezenas de pessoas.

A zona das praias de Barcelona, mesmo ao lado da Ronda Litoral, tem muito movimento de pessoas habitualmente - turistas e habitantes locais em atividades desportivas.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...