PJ apreende 60 quilos de cocaína no aeroporto de Lisboa

Droga estava dissimulada em embalagens de preparado para confeção de bolos

A PJ apreendeu, no aeroporto de Lisboa, cerca de 60 quilos de cocaína, que estavam dissimulados em embalagens de preparado para confeção de bolos, numa encomenda proveniente do Brasil, e deteve três pessoas, anunciou hoje a Polícia Judiciária.

Em comunicado, a PJ adianta que os cerca de 60 quilos de cocaína apreendidos são suficientes para, pelo menos, 600.000 doses individuais daquele produto estupefaciente.

A PJ refere que detetou, no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, uma encomenda, despachada no Brasil, que continha embalagens de preparado para confeção de bolos, nas quais se encontravam dissimulados cerca de 60 quilos de cocaína.

Na sequência das diligências efetuadas foram detidas três pessoas, um de nacionalidade estrangeira e dois portugueses, presumíveis autores de tráfico de droga, segundo aquela polícia.

A PJ indica ainda que os detidos, com idades entre os 22 e os 54 anos, foram ouvidos em primeiro interrogatório judicial, tendo dois deles ficado em prisão preventiva e outro sujeito a apresentações periódicas.

A apreensão da cocaína e as detenções foram feitas pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, em colaboração da Autoridade Aduaneira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.