Os seus telemóveis antigos podem valer uma pequena fortuna

Aparelhos que provavelmente estão esquecidos em gavetas e armários e podem ser trocados por modestas quantias de dinheiro

Os telemóveis que estavam na moda há alguns anos e agora se tornaram obsoletos por não terem ligação wi-fi, câmaras fotográficas ou até ecrãs a cores, estão a ganhar um valor inesperado. No eBay, um site de compras e vendas online, o primeiro modelo de telemóvel da Nokia, o Mobira Senator, de 1981, pode valer até 1060 euros.

São vários os modelos de telemóveis que provavelmente estão esquecidos em gavetas e armários e podem ser trocados por modestas quantias de dinheiro, segundo um estudo da Talkmobile, a empresa que comparou os preços.

Entre eles está o Nokia 3310, o telemóvel que marcou uma geração por ter inovações como calculadora, mensagens de texto mais longas e o viciante jogo Snake. Quando foi lançado, em 2000, a empresa vendeu cerca de 126 milhões de unidades. Agora, pode ser encontrado no eBay por até 65 euros.

"Já passaram mais de 30 anos desde que o primeiro telemóvel se tornou comercialmente disponível e uma geração inteira já possuiu uma série de dispositivos diferentes", disse o especialista em telemóveis da CCS Insight, Ben Wood, ao Wales Online, acrescentado que todos se lembram do primeiro telemóvel.

O modelo DynaTAC 8000X da Motorola é talvez o mais caro atualmente. Começou a ser vendido em 1984 e tornou-se famoso após ter sido usado por Michael Douglas no filme Wall Street - Poder e Cobiça. Segundo o Talkmobile, este telemóvel demorava 10 horas a carregar, permitia falar apenas 30 minutos seguidos e guardar 30 números de telefone. Agora, pode ser vendido por 3500 euros.

O Motorola StarTAC também foi uma estrela no seu tempo. Foi o primeiro telemóvel do mundo com uma tampa que abria e vendeu mais de 60 milhões de unidades, a 1650 euros cada. Este clássico da Motorola custa agora entre 35 e 118 euros.

O primeiro iPhone, lançado em 2007, também faz parte da lista de clássicos. Na altura prometeu revolucionar o mundo dos telemóveis. Neste momento, custa até 1180 euros.

O Motorola Razr V3 que foi igualmente um sucesso nos anos 2000 e vendeu 130 milhões de unidades, custa agora entre 17 e 180 euros.

"Encontrar um telemóvel antigo no fundo de uma gaveta é uma experiência evocativa: as pessoas têm tendência a relembrar o telemóvel que tinham durante períodos importantes das suas vidas, como um emprego específico ou umas férias memoráveis", continuou Ben Wood. "É interessante ver que um pedaço de tecnologia pode induzir sentimentos em tanta gente".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.