Os pássaros estão a afogar-se e os cientistas não sabem porquê

Veterinários não conseguem explicar os afogamentos em massa de estorninhos no Reino Unido e País de Gales

Não se conhecem pássaros com tendências suicidas, mas há um fenómeno no Reino Unido que está a intrigar os cientistas: grupos de estorninhos jovens estão a morrer por afogamento, mortes em massa que ainda ninguém conseguiu explicar.

Segundo a BBC, não é comum que um pássaro morra afogado, mas pode acontecer: quando são ainda jovens e aterram em águas profundas, com as penas molhadas têm dificuldades em conseguir voltar a voar. Nos últimos anos, no entanto, e de acordo com a monitorização dos especialistas, menos de 1% das mortes dos pássaros foram por afogamento, num total dos 800 mil animais que foram seguidos.

Por isso a veterinária Becki Lawson, da Zoological Society of London, no Reino Unido, decidiu investigar quando começaram a chegar relatos de afogamentos em massa de jovens estorninhos. A especialista e os colegas conseguiram identificar cerca de 12 afogamentos em massa, em Inglaterra e País de Gales, nos últimos 20 anos. Os pássaros eram encontrados mortos em lagos, piscinas, poços, até baldes deixados nos jardins.

Todos os estorninhos tinham poucos meses de vida e, por norma, morriam em maio ou junho. Quando vários pássaros morrem de uma só vez, as causas são normalmente atribuídas à poluição ou doença, mas nenhuma das duas situações se verificava: todos os estorninhos eram saudáveis.

Becki Lawson tentou perceber se algo nos estorninhos os tornava mais suscetíveis ao afogamento, mas a conclusão foi negativa. Apesar dos seus esforços, até ao momento continua sem respostas definitivas. A melhor aposta dos veterinários relaciona-se com a mentalidade de grupo dos estorninhos, que seguem o grupo cegamente: se um tem sede e procura uma fonte de água, os restantes seguem-no e, devido à inexperiência da idade, atrapalham-se, acabando por cair na água sem conseguir regressar ao voo.

Os afogamentos parecem, portanto, acidentais, mas as verdadeiras causas, assinala a BBC, permanecem um mistério.

Ler mais

Exclusivos