Nova app quer ligar todos os portugueses no mundo

Chama-se Portugal Lá Fora e foi desenvolvida pelo Alto Comissariado para as Migrações

Com o objetivo de promover a comunicação entre os milhares de portugueses no estrangeiro e os que residem em Portugal, o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) lançou hoje uma nova app. Chama-se Portugal Lá Fora e pode ser descarregada AQUI.

"Com esta aplicação, conseguimos cumprir o objetivo de estimular a ligação entre os portugueses, bem como, promover a partilha de informações de Portugal e dos países onde estão a residir", explicou o alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, em comunicado difundido às redações.

A aplicação é gratuita e existe para aparelhos com os sistemas iOS e Android. Tem ainda como objetivos "promover o acesso a serviços e informações relevantes para os emigrantes, ao disponibilizar um conjunto de informações de vários setores, e com recurso à geolocalização, como Embaixadas, Postos Consulares, Associações de Emigrantes, Centros de Línguas e espaços de lazer", lê-se no referido texto.

Esses dados podem depois ser partilhados pelos utilizadores com os seus amigos, bem como sugerir outros pontos de interesse, fazendo assim crescer a plataforma.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.