Noruega vai matar 2000 renas para erradicar doença contagiosa

Doença afeta renas e veados e foi detetada pela primeira vez na Europa

O governo norueguês autorizou esta segunda-feira o abate de um rebanho de cerca de duas mil renas para erradicar uma doença contagiosa que tem infetado estes animais. A doença emaciante crónica apenas afeta cervídeos, como as renas, os veados e os alces, e foi detetada pela primeira vez na Noruega e na Europa no ano passado.

A doença emaciante crónica tem sido equiparada à doença das vacas loucas. O cérebro das renas e restantes animais infetados por esta doença torna-se esponjoso e eles acabam por morrer, segundo a AFP.

Para evitar que a doença, que já existe na América do Norte, se propague pela Europa, as autoridades de segurança alimentar norueguesas e o Ministério da Agricultura do país decidiram abater o rebanho onde foram detetadas três renas infetadas.

Este rebanho tem entre 2000 e 2200 renas e o abate terá de ocorrer até maio de 2018, segundo indicações do Ministério da Agricultura.

As autoridades de segurança alimentar devem apresentar um plano de ação até 15 de junho. As opções até ao momento são reunir todos os animais para serem mortos de uma vez ou estender a época de caça na região.

Não há nenhum registo de humanos infetados por esta doença ou de perigos para a saúde humana.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.