NASA inicia missão para analisar o interior de Marte

Estação espacial americana quer mapear o interior do planeta vermelho pela primeira vez

O lançamento da nova missão da NASA, designada como InSight, acontecerá hoje. O foguetão com destino a Marte permitirá registar e analisar, pela primeira vez, o interior do planeta vermelho. Nesta inédita missão, a sonda levada a bordo do Atlas V irá escavar profundamente a crosta do planeta, possibilitando o estudo do núcleo interno do planeta Marte.

Esta análise ajudará a clarificar algumas questões que se prendem com a estrutura e composição do planeta. Em concreto, a missão ajudará a determinar a estrutura da crosta e o tamanho e estado físico do núcleo de Marte. As informações recolhidas permitirão também entender a formação do planeta e de outros planetas rochosos.

Para Bruce Banerdt, o investigador principal da InSight, esta missão "irá ajudar a preencher algumas lacunas na nossa compreensão do universo". Segundo Banerdt, o equipamento que será usado inclui um sismógrafo. Desta forma, a NASA será pioneira a detetar os meteoros que atingem a superfície do planeta Marte. Será possível medir não só a distribuição das atividades sísmicas como o impacto dos meteoritos.

No total, a estação espacial americana prevê um investimento de 813 milhões de dólares, 163 dos quais já investidos na construção do foguetão e nos serviços de lançamento.

Inicialmente agendada para março de 2016, esta missão foi adiada devido a problemas técnicos relacionados com a sonda responsável por traçar um retrato da estrutura interna de Marte. Volvidos dois anos, o lançamento deste foguetão - o primeiro a partir da costa Oeste dos Estados Unidos - irá acontecerá na Califórnia, às sete da manhã (hora local). De acordo com as previsões da agência espacial americana, a viagem demorará sete meses, num total de 485 milhões de kms. A chegada está prevista para 26 de novembro sendo que as pesquisas em Marte deverão ocorrer ao longo dos próximos dois anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.