Mulher acusa hospital de negligência: chegou com pé partido, acabou amputada

Hospital atribui as complicações deste caso à diabetes

Uma mulher de 64 anos acusa um ortopedista, um fisioterapeuta e dois cirurgiões do Hospital de Santa Maria do Porto de negligência médica, avança hoje o Jornal de Notícias. De acordo com esta publicação, a queixosa chegou com um pé partido e acabou amputada. A unidade hospitalar recusa as acusações e atribui as complicações deste caso à diabetes.

Segundo conta o JN, que cita a participação criminal enviada ao Ministério Público, em novembro, a mulher caiu num autocarro quando se deslocava precisamente para aquele hospital para fazer um tratamento relacionado com uma fratura num braço feita quatro meses antes. Ao chegar ao destino, queixou-se ao médico com dores num pé, tendo-lhe sido diagnosticada uma entorse. Devido à continuidade das dores, a mulher acabou por ir ao hospital de santo António, também no Porto, onde lhe diagnosticaram um pé partido e lhe colocaram gesso.

Um mês depois, de acordo com a mesma fonte, voltou ao Santa Maria para fazer fisioterapia. Cheia de dores, acabou por fazer um raio-x que revelou que o pé continuava fraturado. Além disso, começou a desenvolver feridas, que exigiram tratamentos dia sim dia não. Em fevereiro, após ter desmaiado antes de um curativo, acabou por ser internada, situação em que ainda se encontra. Ainda de acordo com o JN, em maio foi informada da necessidade de amputar três dedos. Após essa cirurgia, no final de junho, voltou a ser operada para lhe amputarem metade do pé.

O hospital recusa a acusação de negligência e garante que os factos descritos pela queixosa na participação não correspondem à realidade. Associa as complicações de saúde desta doente à diabetes.

Ler mais

Exclusivos