Morreu Carlos Mendonça, o 'Mourinho' das Marchas de Lisboa

Carlos Mendonça morreu hoje em Lisboa aos 77 anos

Carlos Mendonça, conhecido como o 'Mourinho' das Marchas de Lisboa, morreu hoje em Lisboa aos 77 anos, disse à agência Lusa fonte da família.

O corpo será velado a partir das 18:00 de quarta-feira na Basílica da Estrela e o funeral realiza-se às 14:00 de quinta-feira, seguindo para o cemitério do Alto de São João, onde decorrerá a cremação.

José Carlos dos Santos Mendonça, nascido em Lisboa a 28 de janeiro de 1939, foi um artista português polivalente, que começou pelo teatro e pela dança clássica, tornando-se assistente de figurinismo quando se radicou em Londres, em 1964, já depois do cumprimento do serviço militar obrigatório.

Como figurinista, trabalhou para a BBC, Granada Television, Euston Films e Paramount Films.

Regressou em 1980 a Portugal, onde trabalhou como figurinista em programas de televisão, musicais e novelas, entre outros, escrevendo também vários espetáculos musicais.

Desenhou vários cenários e figurinos para teatros, como o ABC, o Variedades e o Maria Vitória.

Em 1990, foi convidado a dirigir a Marcha Popular de Alfama, o que fez durante 20 anos, como coreógrafo, figurinista, cenógrafo, letrista e também como músico e compositor.

Conhecido por ter um estilo inovador, que inspirou muitos outros ensaiadores, conseguiu 13 primeiros lugares em 20 anos de Marchas, assim como diversos prémios de figurinos, artes plásticas e coreografia.

Foi distinguido com a Medalha de Ouro da cidade de Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.