Microsoft vai dar os direitos europeus de privacidade aos utilizadores de todo o mundo

Novas regras implicam poder bloquear utilização de dados para publicidade. Maioria das tecnológicas limitam a possibilidade à UE

A Microsoft informou esta segunda-feira que vai dar aos seus utilizadores a nível mundial os mesmos direitos à privacidade atribuídos aos europeus sob a nova regulação.

Isto significa que os utilizadores, independentemente do sítio onde vivam, podem ser capazes de ver o que a Microsoft colige sobre eles e corrigir ou apagar essa informação, se necessário.

Os utilizadores também poderão objetar ao uso da informação recolhida sobre eles para atividades de publicidade e outras.

Algumas empresas estão a limitar estas possibilidades apenas à União Europeia, onde as novas regras entram em vigor na sexta-feira.

A Facebook, por exemplo, já disse que oferece o mesmo padrão à escala mundial, mas não prometeu direitos similares aos europeus a essa escala.

A Microsoft explicitou a sua promessa hoje, em mensagem colocada no seu blogue.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.