Tempestade Ana já passou o continente mas temperatura desceu

A tempestade Ana já deixou o território de Portugal continental, registando-se uma diminuição do vento e da chuva forte, disse a meteorologista Paula Leitão.

"A depressão a que se deu o nome de Ana já se encontra sob França e a frente fria que lhe estava associada já passou todo o território do continente. A situação de chuva forte e vento forte que se registou no dia de ontem [domingo] já está ultrapassada", adiantou a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Paula Leitão, Portugal continental está agora sob a influência de uma massa de ar frio.

"A temperatura já está a descer. Às 06:30 já se registavam -1 graus Celsius nas Penhas Douradas e perto de 0 graus na região de Trás-os-Montes. O céu já está com algumas abertas e ainda há aguaceiros, que serão de neve acima dos 800 metros de altitude", disse.

Paula Leitão adiantou que para hoje no Porto está prevista uma temperatura máxima de 13 graus, Lisboa 17 e Faro 19, mas em Bragança prevê-se 06 graus e nas Penhas Douradas 04.

"No entanto, a descida da mínima vai ser mais notada. Ontem a noite foi quente e hoje, com a massa de ar frio, as mínimas ficam mais baixas. Pode haver locais com diferenças de temperatura mínima em relação a ontem de 8 a 10 graus", indicou.

O IPMA prevê também para hoje nas regiões do Norte e Centro, em especial nos sítios mais altos, condições para a formação de gelo.

Segundo a meteorologista Paula Leitão, hoje os aguaceiros deverão diminuir de intensidade e frequência, prevendo-se para o final da tarde céu pouco nublado ou limpo.

"Quanto ao vento, já diminuiu de intensidade e frequência. Ainda temos algumas rajadas, mas o vento já está menos intenso", disse.

No que diz respeito aos avisos, Paula Leitão adiantou que até às 21:00 de hoje toda a costa está sob aviso laranja devido à agitação marítima, prevendo-se ondas com 7 metros, passando depois até às 12:00 de terça-feira a aviso amarelo, com ondas já de 04 a 05 metros.

"Sob aviso laranja temos também os distritos de Braga, Vila Real e Guarda até às 18:00 de hoje, mas devido à queda de neve acima dos 700/800 metros. Também devido à queda de neve, foram emitidos avisos amarelos para Viana do Castelo, Viseu e Castelo Branco", disse.

O aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, indica uma situação meteorológica de risco moderado a elevado enquanto o aviso amarelo é emitido sempre que há risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

A meteorologista Paula Leitão disse ainda que para terça-feira já está previsto "céu pouco nublado ou limpo, mas na quarta-feira já há outra vez condições para precipitação".

A Proteção Civil registou durante a madrugada de hoje mais de 3.010 ocorrências relacionadas com o mau tempo, que provocou mais de 1.900 quedas de árvores, 346 inundações e 34 deslizamentos de terras.

De acordo com o comandante Paulo Santos, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o mau tempo atingiu o país de Norte a Sul, mas afetou mais os distritos de Lisboa, Porto, Braga, Aveiro, Coimbra e Viseu.

No domingo, a tempestade causou uma vítima mortal, uma mulher de 45 anos, em Marco de Canavezes, devido à queda de uma árvore.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Pode a clubite tramar um hacker?

O hacker português é provavelmente uma história à portuguesa. Rapaz esperto, licenciado em História e especialista em informática, provavelmente coca-bichinhos, tudo indica, toupeira da internet, fã de futebol, terá descoberto que todos os estes interesses davam uma mistura explosiva, quando combinados. Pôs-se a investigar sites, e-mails de fundos de jogadores, de jogadores, de clubes de jogadores, de agentes de jogadores e de muitas entidades ligadas a esse estranho e grande mundo do futebol.

Premium

Opinião

"Orrrderrr!", começou a campanha europeia

Através do YouTube, faz grande sucesso entre nós um florilégio de gritos de John Bercow - vocês sabem, o speaker do Parlamento britânico. O grito dele é só um, em crescendo, "order, orrderr, ORRRDERRR!", e essa palavra quer dizer o que parece. Aquele "ordem!" proclamada pelo presidente da Câmara dos Comuns demonstra a falta de autoridade de toda a gente vulgar que hoje se senta no Parlamento que iniciou a democracia na velha Europa. Ora, se o grito de Bercow diz muito mais do que parece, o nosso interesse por ele, através do YouTube, diz mais de nós do que de Bercow. E, acreditem, tudo isto tem que ver com a nossa vida, até com a vidinha, e com o mundo em que vivemos.

Premium

Marisa Matias

Mulheres

Nesta semana, um país inteiro juntou-se solidariamente às mulheres andaluzas. Falo do nosso país vizinho, como é óbvio. A chegada ao poder do partido Vox foi a legitimação de um discurso e de uma postura sexistas que julgávamos já eliminadas aqui por estes lados. Pois não é assim. Se durante algumas décadas assistimos ao reforço dos direitos das mulheres, nos últimos anos, a ascensão de forças políticas conservadoras e sexistas mostrou o quão rápida pode ser a destruição de direitos que levaram anos a construir. Na Hungria, as autoridades acham que o lugar da mulher é em casa, na Polónia não podem vestir de preto para não serem confundidas com gente que acha que tem direitos, em Espanha passaram a categoria de segunda na Andaluzia. Os exemplos podiam ser mais extensos, os tempos que vivemos são estes. Mas há sempre quem não desista, e onde se escreve retrocesso nas instituições, soma-se resistência nas ruas.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Ser ou não ser, eis a questão

De facto, desde o famoso "to be, or not to be" de Shakespeare que não se assistia a tão intenso dilema britânico. A confirmação do desacordo do Brexit e o chumbo da moção de censura a May agudizaram a imprevisibilidade do modo como o Reino Unido acordará desse mesmo desacordo. Uma das causas do Brexit terá sido certamente a corrente nacionalista, de base populista, com a qual a Europa em geral se debate. Mas não é a única causa. Como deverá a restante Europa reagir? Em primeiro lugar, com calma e serenidade. Em seguida, com muita atenção, pois invariavelmente o único ganho do erro resulta do que aprendemos com o mesmo. Imperativo é também que aprendamos a aprender em conjunto.