Mais de três mil condutores multados por não saberem circular em rotundas

Alterações introduzidas em 2014 ao Código da Estrada estipulam que só se deve usar a faixa da direita quando se vai sair das rotundas

Desde 1 de janeiro de 2014, data em que entraram em vigor mais de 60 alterações ao Código da Estrada - uma delas estipulando que só se deve circular à direita numa rotunda antes de sair - foram multados 3195 condutores por circularem numa rotunda de forma incorreta. Os números, da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, são avançados esta segunda-feira pelo Jornal de Notícias. De acordo com as estatísticas, também foram multados 1909 recém-encartados ou profissionais que circulavam com uma taxa de álcool no sangue superior a 0,2 gramas por litros - a redução da taxa de álcool para recém-encartados e profissionais foi outra das medidas implementadas no "novo" Código da Estrada.

Logo no primeiro ano de vigência das novas regras, foram multados 1104 condutores por circulação incorreta nas rotundas, e o número subiu em 2015 para 1127. Em 2016, 964 condutores já foram "apanhados" a sair das rotundas utilizando a faixa errada.

Confrontado com estes números, Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Club de Portugal, diz que "em Portugal continua a conduzir-se mal e a fiscalização, devido à falta de efetivo nas polícias, é má".

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária ainda não tem dados sobre os ciclistas, que tiveram direitos aumentados com as alterações de 2014, mas o JN adianta que terá havido, em 2014 e 2015, um aumento ligeiro do número de acidentes envolvendo velocípedes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.