Linha azul passa a ter percursos diretos para a Reboleira a partir de segunda-feira

A linha azul tem percursos alternados para a Pontinha e para a Reboleira desde 27 de março deste ano

A circulação da linha azul do Metropolitano de Lisboa (ML) vai passar a ter percursos diretos para a Reboleira, concelho da Amadora, a partir de segunda-feira, anunciou hoje a empresa. "A circulação na linha Azul vai voltar a efetuar-se em toda a sua extensão e sem percursos alternados, já a partir do próximo dia 19 de junho [segunda-feira]", refere o ML, em comunicado.

A linha azul tem percursos alternados para a Pontinha e para a Reboleira desde 27 de março deste ano, entre as 07:30 e as 10:00, de forma a adequar a oferta à procura e otimizar recursos e material circulante, segundo explicou o ML, na ocasião.

"A empresa reuniu todas as condições para antecipar, em cerca de um mês, o modelo de circulação temporário implementado no final de março do corrente ano e inicialmente previsto até 16 de julho, que anunciava destinos alternados entre Santa Apolónia/Pontinha e Santa Apolónia/Reboleira", acrescenta o comunicado.

De acordo com a empresa, esta antecipação deve-se, sobretudo, ao facto de o Metropolitano de Lisboa "ter vindo a dar resposta expedita ao plano de recuperação da manutenção da frota, ainda em curso", e "que tem permitido a adequação da oferta à procura, bem como a recuperação progressiva dos níveis de eficiência e da qualidade de serviço diariamente prestado aos seus clientes".

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.