Jovem de 16 anos morre durante treino

Francisco Acúrcio caiu inanimado no chão durante o treino do Grupo Desportivo da Ereira, em Montemor-o-Velho

Um jovem de 16 anos morreu ontem à noite durante um treino da equipa de juvenis do Grupo Desportivo da Ereira, em Montemor-o-Velho, Coimbra. Francisco Acúrcio caiu inanimado no chão durante um intervalo nos exercícios que os jogadores estavam a realizar.

De acordo com Luís Pereira, um dos dirigentes do clube, o jovem tinha realizado exames médicos no início da época desportiva e nada de anormal havia sido detetado. O Grupo Desportuvo está "psicologicamente muito afetado", garante o responsável.

"As palavras escasseiam perante um acontecimento que deixará marcas em todos nós, que dia-a-dia, ano após ano convivíamos de perto como se de uma família se tratasse", lê-se num texto publicado na página de Facebook do clube, ao qual o jovem estava ligado há seis anos. "Mas a verdade é que para nós o Francisco, FRAN como carinhosamente o chamavamos, nunca se perderá! O corpo vai embora, a voz e o toque desaparecem, mas a sua maneira de ser, as lembranças e o sentimento verdadeiro permanecerão para sempre nos nossos corações!".

Os primeiros socorros foram prestados ao jovem por elementos do clube. Quando os bombeiros chegaram ao local, Francisco encontrava-se em paragem cardiorrespiratória, tendo prosseguido as manobras de reanimação até à chegada do INEM. O jovem foi depois transportado para o Hospital da Figueira da Foz, onde foi confirmado o óbito.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.