Japonesa detida por viajar com os cadáveres dos filhos no carro

Mulher de 30 anos é principal suspeita da morte dos filhos. Terá tentado suicidar-se depois de os assassinar

A polícia prendeu hoje uma mulher japonesa que viajava com os cadáveres dos filhos menores de idade no banco de trás do carro, sendo a principal suspeita da morte das crianças.

A mulher de 30 anos encontra-se sob custódia policial e está a ser interrogada pelas autoridades, que tentam esclarecer as causas da morte dos menores, informou a agência nipónica Kyodo.

Na véspera, um familiar tinha avisado a polícia do desaparecimento da mãe e dos filhos, naturais da província japonesa de Yamaguchi (sudoeste do Japão).

Os agentes da polícia detiveram às 06:30 de hoje (20:30 de terça-feira em Portugal) um veículo ao verem que tinha matrícula desta província. Descobriram que a condutora era a mulher desaparecida, que viajava com os cadáveres dos seus filhos no banco de trás.

O veículo foi encontrado na localidade de Yame, numa zona montanhosa da província de Fukuoka e próxima de Kumamoto.

A polícia acredita que a mãe tentou suicidar-se depois de ter matado os filhos, disseram fontes da investigação ao diário nipónico Asahi.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.