Japão mostra a Lisboa como se pode lidar com sismos

Em 2016 a câmara vai ensinar crianças, jovens e idosos a reagir a um terramoto. Assina protocolo com especialistas japoneses

A estratégia está definida: a partir do próximo ano, a Câmara Municipal de Lisboa vai apostar em mostrar a crianças, jovens e idosos como atuar em caso de sismo para tornar mais eficaz a reação da capital, no futuro, a um terramoto. A aposta, que parte do princípio de que serão estas faixas etárias a transmitir mais facilmente a mensagem aos restantes adultos residentes na cidade, surge depois de a autarquia ter aprofundado os contactos com o Hyogo Research Institute, uma unidade de investigação japonesa dedicada ao estudo de questões reveladas pelo sismo que em 1995 abalou a quinta maior cidade nipónica, Kobe, matando mais de seis mil pessoas.

Atingido por cerca de 1500 tremores de terra por ano, aquele país é considerado uma referência ao nível da prevenção de catástrofes naturais e irá agora ajudar Lisboa - que ontem assinalou o 260.º aniversário do terramoto de 1755 , que atingiu 8,5 na escala de Richter e que devastou a cidade - a preparar-se para fazer face a um sismo de larga escala, tido como certo num futuro mais ou menos próximo.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.