Dois incêndios em Abrantes "sem risco para pessoas"

Frente de fogo está a ceder aos meios no terreno, diz presidente da Câmara

Dois incêndios lavram em Fontes e no lugar de Cristo Rei, aldeia de Matagosa, freguesia de Carvalhal, Abrantes, tendo a autarquia retirado dezenas de habitantes durante a noite por precaução.

Em declarações à Lusa, a presidente da Câmara de Abrantes disse que o incêndio, que deflagrou em Carvalhal e Fontes às 20:30 de domingo, "resultou de uma projeção vinda de Ferreira do Zêzere e roda sobre Abrantes e Sardoal", municípios contíguos ao de Ferreira do Zêzere.

Segundo Maria do Céu Albuquerque, as chamas "não apresentam a esta hora (cerca das 12:10) risco para a população" e a frente de fogo "está a ceder aos meios" no terreno.

No entanto, e por motivos de precaução, foram retiradas dezenas de pessoas das aldeias e lugares de Água das Casas, Vale de Açor, Matagosa e Matagosinha, das freguesias de Fontes e Carvalhal.

Ainda na zona norte do concelho de Abrantes, cerca das 12:40, o incêndio mantinha-se ativo em Fontes, segundo a página da Proteção Civil, e mantinha no terreno 194 operacionais, apoiados por 58 viaturas e um meio aéreo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.