Idosa mata colega de quarto com bengala num lar em Ourique

Fonte da GNR admite que se desconhecem, por enquanto, os motivos do homicídio

Uma idosa, de 69 anos, matou outra, de 88 anos, com uma bengala, no domingo à noite, no lar da Santa Casa da Misericórdia de Ourique, no Alentejo, disse hoje à agência Lusa fonte da GNR.

A homicida "agrediu violentamente" a vítima com uma bengala, provocando-lhe a morte, explicou a fonte, precisando que o crime ocorreu cerca das 22:50 de domingo no quarto que as duas idosas partilhavam no lar da Santa Casa da Misericórdia de Ourique, no distrito de Beja.

Segundo a fonte, a GNR deslocou-se ao lar e, por se tratar de um homicídio, entregou o caso à Polícia Judiciária (PJ), que encaminhou a homicida sob custódia para o serviço de psiquiatria do hospital de Beja.

A mesma fonte da GNR disse que se desconhecem, por enquanto, os motivos do homicídio.

Num comunicado enviado à Lusa, a Santa Casa da Misericórdia de Ourique lamenta a morte da idosa, que ocorreu "em circunstâncias ainda não devidamente esclarecidas".

Segundo a Misericórdia de Ourique, a idosa que "alegadamente agrediu mortalmente a vítima estava a ser acompanhada pelo serviço de psiquiatria do hospital de Beja, que lhe concedeu altas consecutivas".

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.