Homem perde testículo após cirurgia clandestina

Infeção da ferida provocada pelo operação levou vítima ao hospital e autoridades ao conhecimento do caso

Allan George Matthews, 56 anos, cirurgião amador, declarou-se esta quarta-feira culpado de ter removido o testículo esquerdo de um homem de 52 anos sem o seu consentimento, num motel em Port Macquarie, Sidney.

A vítima, que há vários anos sofria de dores nessa região depois de ter sido agredida por um cavalo, terá publicado na internet um anúncio em que pedia "assistência com um assunto médico", uma vez que não tinha dinheiro para recorrer aos serviços de saúde regulares, reporta o The Guardian.

A polícia australiana tomou conhecimento do caso quando, em junho, o homem em causa procurou assistência hospitalar porque a ferida que a "cirurgia" realizada por Matthews provocara estava infetada.

Na residência do "cirurgião", que admitiu ter "retirado tecido" sem "autoridade ou permissão", as autoridades apreenderam equipamento médico, armas de fogo e quatro garrafas daquilo que suspeitam ser nitrito de amila (composto orgânico prioritariamente usado como vasodilatador e colateralmente como droga anestesiante.)

George Matthews esteve, esta quarta-feira, no tribunal local de Port Macquarie, onde se declarou culpado de múltiplas ofensas.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.