Homem mais obeso do mundo operado para reduzir estômago

A cirurgia visou reduzir o estômago de uma capacidade de cinco litros para cerca de 25 centilitros.

O mexicano Juan Pedro Franco, considerado o homem mais obeso do mundo quando tinha 590 quilos, foi submetido a uma redução de estômago sem qualquer complicação, segundo o médico responsável pela intervenção.

Na cidade mexicana de Guadalajara, o médico José António Castañeda caracterizou a cirurgia como um êxito, apesar de alguns problemas no procedimento laparoscópio, e referiu a necessidade de ver como o homem, de 32 anos, reage à alteração.

As dificuldades no procedimento laparoscópio (uma avaliação de órgãos internos através de uma espécie de tubo introduzido no abdómen) deveram-se "às dimensões" do corpo de Franco.

Castañeda já tinha prescrito ao homem uma dieta mediterrânea, com ênfase em legumes e frutas, o que resultou na perda de mais de 170 quilos.

A cirurgia visou reduzir o estômago de uma capacidade de cinco litros para cerca de 25 centilitros.

Franco deverá seguir uma dieta rigorosa que o ajudará a perder entre 40 e 50% do seu peso extra nos próximos seis meses, prevendo-se que em novembro se submeta a uma intervenção nos intestinos para que a digestão seja mais rápida e despeje certos tipos de alimentos sem os absorver.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".