Deixou o emprego para jogar Pokémon Go a tempo inteiro

Tom Currie já caçou 91 dos 151 monstros digitais e diz que as viagens que essa missão tem implicado são o melhor da experiência

Aos 24 anos, o neozelandês Tom Currie entregou a sua carta de demissão e decidiu caçar criaturas digitais a tempo inteiro. Currie, que trabalhava num bar na Hibiscus Coast, em Auckland, dedica-se agora exclusivamente à tendência do momento dos jogos para telemóvel : o Pokémon Go.

Empenhado na busca dos emblemáticos monstros, o jovem diz contar com a ajuda da sua família e amigos, embora confesse que os seus pais estão ainda confusos com a situação. "O meu pai [disse-me] que sempre soube que eu seria famoso", comenta, no entanto, o jogador, na BBC.

Currie já consegui encontrar 91 dos 151 Pokémon disponíveis no jogo e explica que as viagens que tal demanda tem implicado são o melhor desta experiência. "Consigo explorar cidades onde nunca estive", realça, sublinhando que prefere percorrer o país à procura de criaturas digitais a ter de trabalhar todos os dias.

O jovem salienta ainda que a oportunidade de conhecer tantos turistas e jogadores tem sido muito agradável e que se sente muito apoiado por todos. Currie, que diz receber mensagens da América, Irlanda, Canadá, Índia e Nepal, já foi mesmo chamado de "herói" por ter abraçado o desafio com tamanha prontidão.

Quando as aventuras acabarem, Tom Currie planeia regressar ao trabalho e desta vez investir no seu próprio negócio.

O Pokémon Go é um jogo de realidade aumentada, no qual os utilizadores têm de encontrar as conhecidas criaturas virtualmente espalhadas por um vasto domínio geográfico. A aplicação também está disponível em Portugal para dispositivos iOS e Android.

Exclusivos