"Homem de ferro" voador bate recorde de velocidade

O britânico Richard Browning usou fato turbinado com motores a jato, criado por si, e espantou o Guinness. Depois caiu no lago

O inventor britânico Richard Browning estabeleceu o primeiro recorde mundial de velocidade com um engenho de motor a jato controlado pelo próprio corpo. O fato, batizado de "Homem de Ferro", faz justiça ao Iron Man de Hollywood. Richard Browning atingiu uma velocidade de 51,53 km/hora, enquanto os fiscais monitorizavam a velocidade do voo - que tinha de ser registada durante pelo menos 100 metros.

O inventor britânico planou sobre o Parque Lagoona, em Reading, no Reino Unido, a assinalar o Dia do Guinness World Records 2017, que será celebrado hoje.

O fundador e piloto de testes da companhia de tecnologia Gravity Industries atingiu a mais alta velocidade num voo do tipo.

Enquanto Browning controlava o equipamento, os fiscais do Guiness onitorizaram a velocidade do voo. Depois de ter atingido os 51,53 km/h na terceira tentativa, Browning caiu sobre o lago, mas, entretanto, o recorde já estava estabelecido.

Cada um dos motores do "Homem de Ferro" tem 22 quilos de impulso, segundo o Guinness. O Livro de Recordes explicou que não há controlo remoto do equipamento. Logo, depende do piloto movimentar o corpo e controlar a roupa motorizada. Brownin teve de trabalhar os músculos e ganhar força nos membros de forma a garantir que conseguisse equilibrar e manter a direção como "Homem de Ferro" no ar.

"Estou encantado em ter batido o recorde e muito orgulhoso de fazer parte do Dia do Guinness World Records. É um prazer e um privilégio ver uma criação nossa reconhecida e celebrada pelo mundo", destacou o piloto britânico.

Um feito a fazer lembrar a aparição de um homem voador vestido de branco, a planar sobre o recinto dos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984. Tornou-se o símbolo da cerimónia de abertura.

William P.Suitor, o "rocketman" dos Jogos Olímpicos, juntou-se à Bell Aerosystems como piloto de testes de cintos foguetão em 1964. Fez mais de 1200 voos sem sofrer ferimentos. Chegou mesmo a trabalhar no programa lunar Apollo, nos testes a diferentes variáveis do cinto foguetão que estavam a ser concebidas para os astronautas do programa da Nato usarem. Mas o seu maior espetáculo voador foi o dos Jogos Olímpicos de 1984, em que deslumbrou uma audiência de dois biliões de pessoas. No seu currículo, William Suitor ainda fez umas proezas como ator para o cinema e a televisão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.