Governo promete relatório do acidente dentro de um mês

Relatório do acidente será conhecido dentro de um mês, garantiu ministro do Planeamento e das Infraestruturas

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, lamentou hoje a perda de vidas humanas na queda da aeronave em Tires, que provocou cinco mortos, indicando que o relatório do acidente será conhecido dentro de um mês.

O governante, que falava no ECO Talks, em Lisboa, referiu que, em primeiro lugar, há que "lamentar a perda de vidas humanas", pois entende que estes acidentes, em qualquer circunstância e quando ocorrem, "são sempre uma grande infelicidade para as pessoas que foram afetadas e para as suas famílias" e que o relatório do acidente aéreo será conhecido dentro de um mês.

Pedro Marques realçou que a natureza do acidente e a natureza dos despojos da aeronave levam a que "a investigação tenha que ser muito detalhada".

Os investigadores do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) "estiveram no local", sendo que o passo seguinte é a realização de uma "investigação autónoma relativamente à matéria", lembrou o responsável.

E prosseguiu: "Qualquer coisa que se diga sobre esta matéria, mais do que dar toda a confiança à equipa de investigação para nos ajudar a apurar o que ocorreu e para daí tirarmos as lições para o futuro, seria completamente precipitado".

"Temos que reiterar a confiança nas nossas equipas e reiterar confiança na nossa operação aeronáutica, nos nossos aeroportos e nas nossas infraestruturas aeronáuticas que são em Portugal e na Europa, em particular, de elevadíssimos níveis de segurança", lembrou.

O ministro lamentou o acidente aéreo, adiantando que deve ser apurado "com serenidade", sendo que o aeródromo vai continuar a funcionar, uma vez que não há indicações em contrário por parte do regulador.

Cinco pessoas morreram na segunda-feira, após a queda de uma aeronave com matrícula suíça em Tires, junto ao parque de descargas do supermercado LIDL.

A aeronave atingiu ainda uma habitação e um anexo situados junto ao supermercado, tendo os seus habitantes - nove pessoas - ficado desalojados.

A aeronave descolou do aeródromo de Tires pelas 12:00, tendo-se despenhado cerca de dois quilómetros depois da descolagem, causando a morte dos quatro ocupantes e de uma pessoa que estava em terra, no parque de descargas do supermercado, alegadamente o condutor de um camião onde a aeronave embateu.

A bordo seguiam quatros pessoas: o piloto, de nacionalidade suíça, e três passageiros, duas mulheres e um homem, de nacionalidade francesa.

Segundo fonte da Proteção Civil, o aparelho dirigia-se para Marselha, em França.

Além das vítimas mortais, há ainda a registar quatro feridos ligeiros, por inalação de fumo, dois dos quais foram assistidos no local e os outros dois transportados para o hospital de Cascais.

Estiveram envolvidos nas operações de socorro 93 operacionais apoiados por 33 viaturas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.