Fundação de Bill Gates financia cientistas da Gulbenkian

Grupo está a desenvolver uma vacina contra a malária

Um grupo de investigação do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), liderado pelo português Miguel Soares, vai ser financiado, durante dois anos, pela Fundação Bill e Melinda Gates para ajudar a desenvolver uma vacina contra a malária.

A equipa irá receber 400 mil dólares (363 mil euros) para investigar se a molécula de açúcar "alfa-gal", expressa pelo parasita da malária, o "Plasmodium", deve fazer parte de uma nova vacina para a malária.

O trabalho inicia-se em agosto, como estudo pré-clínico, com ratinhos, precisou à Lusa o investigador, Miguel Soares.

Em 2014, a sua equipa descobriu, numa experiência com ratinhos, que a molécula de açúcar também se manifesta na superfície de uma estirpe da bactéria "E.coli", que existe no intestino humano saudável, gerando uma resposta de defesa natural do organismo contra a malária.

O grupo concluiu, segundo uma nota anterior do IGC, que a expressão da "alfa-gal" pelas estirpes benéficas de "E.coli", quando existentes no intestino, "é suficiente para induzir a produção de anticorpos naturais anti-alfa-gal, que reconhecem a mesma molécula de açúcar na superfície do Plasmodium".

Os anticorpos ligam-se à molécula de açúcar na superfície do parasita, imediatamente após a sua propagação à pele através do mosquito que transmite a malária.

Na experiência, quando eram vacinados contra uma molécula sintética de açúcar "alfa-gal", os ratinhos produziam elevados níveis de anticorpos anti-alfa-gal "altamente protetores contra a transmissão de malária por mosquitos", de acordo com Miguel Soares.

A investigação, publicada na revista Cell, foi, na altura, cofinanciada pela Fundação Bill e Melinda Gates, nos Estados Unidos, que fixou como meta "um mundo livre de malária até 2020".

O trabalho a realizar nos próximos dois anos pela equipa de Miguel Soares tem a colaboração do Instituto de Higiene e Medicina Tropical e da Malaria Vaccine Initiative, uma organização norte-americana sem fins lucrativos vocacionada para o desenvolvimento de vacinas contra a malária, uma doença infecciosa que se transmite através da picada de uma fêmea do mosquito "Anopheles", infetado com o parasita "Plasmodium".

A doença, disseminada em regiões tropicais e subtropicais, tem como sintomas febre e dores de cabeça.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.