Foi provocado em casa e matou rival com tiro de caçadeira

Desavenças entre duas famílias terminam com uma morte

Terminou da pior maneira uma antiga desavença entre duas famílias em Vila Nova de Santo André (Santiago do Cacém). Na noite de segunda-feira, na sequência de mais um confronto, um homem de 40 anos decidiu acabar de vez com as frequentes rixas. Ao ser provocado através da janela da sua casa, agarrou na caçadeira e disparou um tiro à cabeça do homem que o ameaçava a partir da rua.

A tragédia que deixou em choque a população de Foros da Quinta ocorreu cerca de 22.30, depois de durante a tarde o autor do disparo ter tido mais uma quezília com o pai da vítima.

Foi com o objetivo de tentar fazer o ajuste de contas que o filho se deslocou a casa do suspeito. Terá começado por ofender a família, que se encontrava no interior da residência, fez alguns distúrbios e chegou a danificar uma das janelas da habitação, onde se pendurou agarrado às grades. Mas foi aqui que acabou surpreendido pelo dono casa.

Caçador nos tempos livres e com várias armas na habitação, disparou do interior da casa provocando morte imediata à vítima. Antes do tiro ainda terá alertado o rival para o que poderia acontecer se não parasse com as ofensas.

Segundo a investigação, as desavenças entre ambas as famílias já decorriam há algum tempo, mas "não existe uma questão objetiva" que justifique a origem dos sucessivos confrontos, embora entre população se garantisse esta manhã que entre as famílias desavindas eram frequentes os comentários, segundo os quais, o mau relacionamento e constantes provocações poderiam acabar mal.

O homem entregou-se à GNR sem oferecer resistência, tendo sido o próprio suspeito que alertou um vizinho para a ocorrência, pedindo-lhe que chamasse as autoridades.

A PJ já esteve no local durante manhã, devendo o processo ser entregue o Ministério Público durante esta tarde, devendo ser ouvido entre hoje ou amanhã.

O corpo da vítima foi transportado para o Instituto de Medicina Legal do Hospital do Litoral Alentejano.

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".