Filtros de cigarros poderão ser reciclados para absorver som

Investigadores do Grupo de Investigação do Laboratório de Acústica da Universidade da Extremadura e o Instituto Tecnológico de Pedras Ornamentais e Materiais de Construção propuseram a reciclagem dos filtros de cigarros como material de isolamento do som.

É o que consta um estudo onde se propõe uma nova utilização para este tipo de materiais, já que, segundo referem, os filtros são compostos principalmente de acetato de celulose, um material que não é biodegradável e com poucas perspetivas de ser reciclado.

Como explica Valentín Gómez Escobar, professor da Escola Politécnica e um dos autores do estudo, citado pela Efe, o grande número de pontas de cigarro (filtros) que são descartadas diariamente em todo o mundo leva a uma sério problema ambiental, pois grande parte dos fumadores deita os cigarros para o chão.

Segundo explica, alguns autores propuseram diferentes usos como material no fabrico de tijolos ou como componente de inseticidas ou inibidores químicos, mas devido ao seu caráter poroso, avançaram com a possibilidade de ser utilizado como absorvente do som.

Para avaliar o coeficiente de absorção acústica das diferentes amostras, realizaram-se medições utilizando um tubo de impedância.

No seu primeiro trabalho, os investigadores mediram o coeficiente de absorção das pontas de cigarro completas, ou seja, o filtro junto ao papel que o envolve, e posteriormente procederam à retirada do papel, utilizando unicamente o filtro.

As conclusões do estudo revelaram que as amostras têm um nível de absorção bastante elevado, semelhante ou até superior a muitos dos materiais que são utilizados no setor da construção.

Na opinião dos investigadores, abre-se as portas para que os filtros dos cigarros possam ser utilizados como absorventes do som, o que permite contribuir para a reciclagem destes resíduos e resolver problemas ambientais como o ruído e a contaminação ambiental.

Exclusivos