Estrela e Santos vão ter metro até 2021

Obra está avaliada em 215 milhões de euros

O Metro de Lisboa vai ter duas novas estações até 2021: na Estrela e em Santos, avança hoje o Público. Segundo o jornal, a obra está avaliada em 215 milhões de euros e inclui a ligação ao Cais Sodré. Campo de Ourique também faz parte dos planos do prolongamento, mas terá de aguardar financiamento.

O ministro do Ambiente, Matos Fernandes, confirmou ao Público que a decisão relativamente ao prolongamento da linha amarela do Metro de Lisboa está tomada, faltando apenas o estudo de impacto ambiental. Com duas opções em cima da mesa - prolongamento da linha amarela do Rato até ao Cais do Sodré ou prolongamento da linha vermelha de São Sebastião até Alcântara - ganhou a primeira.

A intenção de prolongar a linha vermelha mantém-se, mas falta financiamento. Por isso, de acordo com a mesma fonte, avalia-se apenas a possibilidade de ligar São Sebastião até Campo de Ourique, o que terá custos na ordem dos 200 milhões de euros. Para chegar a Alcântara, afirmou o ministro, seria necessário o dobro desse valor.

A estação do Cais do Sodré também vai passar por obras de forma a criar dois novos acessos ao metro e ao comboio.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.