Empresários concentram-se na A28 para exigir fim das portagens

Concentração está marcada para sexta-feira, às 12:00, perto do pórtico de Neiva da A28

O presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo disse esta quarta-feira que uma concentração marcada para sexta-feira na A28, que liga aquela cidade ao Porto, pretende sensibilizar o Governo para a correção de "um erro crasso" relativo às portagens.

"O nosso objetivo com a realização deste protesto é, mais uma vez, sensibilizar a tutela para a necessidade de corrigir um erro crasso que foi a introdução de portagens na A28 e, sobretudo, a colocação de um pórtico à entrada de uma zona industrial", afirmou à Lusa Luís Ceia, que é também líder da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL).

Para aquele responsável, "o pórtico constitui uma incongruência sobretudo numa altura em que se fazem todos os esforços para captar investimento para o concelho e se taxa a entrada numa zona empresarial".

"O pórtico constitui um entrave aos movimentos pendulares, intra e inter concelhios sem que nada justifique a sua implantação no local", sustentou garantindo que a sua eliminação seria uma "medida reduzida mas eficaz, um incentivo à circulação de pessoas e bens provocada pela maior facilidade de acesso e diminuição dos custos associados"

Segundo Luís Ceia, a concentração que vai decorrer, na sexta-feira, às 12:00, próximo do pórtico de Neiva da A28, tem ainda como objetivo como objetivo "protestar contra a forma discriminatória como o Alto Minho é tratado" pelo facto da autoestrada A28, não ter sido incluída na lista de ex-scut que beneficiaram da redução do valor das portagens decidida pelo Governo.

"A A28 preenche claramente os mesmos requisitos que levaram a tão meritória decisão", sustentou o líder a AEVC que representa cerca de 1.300 empresários de Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença e Paredes de Coura.

A AEVC justificou a reivindicação "com os índices económicos do Alto Minho, comparáveis aos do interior do país e inferiores aos da média nacional, com o entrave que constituem as portagens no desenvolvimento da região e nas relações transfronteiriças".

No protesto, que "não visa criar desordem, nem distúrbios na circulação automóvel" vão participar além "dos empresários do distrito de Viana do Castelo, associações congéneres de Pontevedra e Ourense, bem como os municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho".

Ler mais

Exclusivos