E o melhor chef de 2016 é...

O blog Mesa Marcada elegeu o restaurante Feitoria, no Altis Belém, como o melhor restaurante e João Rodrigues o chef do ano

Não se pode dizer, para quem conhece o espaço e as criações do chef, que seja surpreendente a subida no ranking e consequente escolha de João Rodrigues e do Feitoria como chef e restaurante do ano pelo blog especializado Mesa Marcada, nesta oitava edição dos prémios anualmente entregues por Duarte Calvão e Miguel Pires, mas nem por isso a equipa que recebeu mais esta distinção se mostrou menos entusiasmada.

Nas categorias especiais, o prémio Mesa Diária foi pelo 3º ano consecutivo para A Taberna da Rua das Flores (Lisboa) e Pedro Pena Bastos, do Esporão (Reguengos de Monsaraz), foi eleito Chef Revelação do Ano. O Prémio Especial Graham"s Restaurante Novo do Ano foi atribuído ao Bairro do Avillez e o Loco, de Alexandre Silva, venceu o Prémio Especial Estrella Damm Destaque do Ano, sendo o restaurante com a maior subida no ranking entre os primeiros.

"É ainda mais especial quando é um reconhecimento de colegas e pessoas do meio gastronómico, muitos deles a fazerem coisas incríveis nos seus projetos. Serem eles a eleger o nosso restaurante é incrível", reagiu João Rodrigues, que se tem mantido perto do topo da tabela e este ano conseguiu passar do quarto para o primeiro lugar, com 652 pontos, mais 11 do que José Avillez, o vencedor das últimas edições. Com 704 pontos, o Feitoria subiu duas posições e conquistou a preferência do painel de votantes dos mais importantes prémios da gastronomia nacional, mais 49 do que o segundo classificado, o Belcanto.

A conquista revela um percurso estudado e com passos dados rumo a uma crescente qualidade. "Temos vindo a trabalhar ainda mais o conceito do Feitoria e estamos a transpor isso para a nossa maneira de estar, para o que pomos no prato e para o nosso serviço de sala também, o que faz que as pessoas queiram ir e depois fiquem com vontade de voltar", explica o chef. O restaurante está num momento de "consolidação do percurso de várias etapas, um longo caminho, uma direção que se vai estreitando, que não deixou quem passou pelo Feitoria indiferente", acrescenta João Rodrigues, prometendo novidades para breve: o restaurante reabre no próximo dia 26 com energias restabelecidas e um novo menu centrado no produto e no sabor.

Aberto em 2009, e com uma estrela Michelin desde 2011, o Feitoria traz um conceito inspirador a Lisboa: "uma visão contemporânea dos Descobrimentos e o convite a uma viagem pela influência da cozinha portuguesa no mundo", um traço que é um prolongamento do chef João Rodrigues, apaixonado pela história da gastronomia e por produtos e sabores mais exóticos. Este tem sido um ano em grande para o restaurante que foi Garfo de Platina 2016 do Guia Boa Cama Boa Mesa e para o João Rodrigues, chef do Ano pelo mesmo guia e pela Revista Wine.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.

Premium

João Taborda da Gama

Le pénis

Não gosto de fascistas e tenho pouco a dizer sobre pilas, mas abomino qualquer forma de censura de uns ou de outras. Proibir a vista dos pénis de Mapplethorpe é tão condenável como proibir a vinda de Le Pen à Web Summit. A minha geração não viveu qualquer censura, nem a de direita nem a que se lhe seguiu de esquerda. Fomos apenas confrontados com alguns relâmpagos de censura, mais caricatos do que reais, a última ceia do Herman, o Evangelho de Saramago. E as discussões mais recentes - o cancelamento de uma conferência de Jaime Nogueira Pinto na Nova, a conferência com negacionista das alterações climáticas na Universidade do Porto - demonstram o óbvio: por um lado, o ato de proibir o debate seja de quem for é a negação da liberdade sem mas ou ses, mas também a demonstração de que não há entre nós um instinto coletivo de defesa da liberdade de expressão independentemente de concordarmos com o seu conteúdo, e de este ser mais ou menos extremo.

Premium

Bernardo Pires de Lima

Em contagem decrescente

O brexit parece bloqueado após a reunião de Salzburgo. Líderes do processo endureceram posições e revelarem um tom mais próximo da rutura do que de um espírito negocial construtivo. A uma semana da convenção anual do partido conservador, será ​​​​​​​que esta dramatização serve os objetivos de Theresa May? E que fará a primeira-ministra até ao decisivo Conselho Europeu de novembro, caso ultrapasse esta guerrilha dentro do seu partido?

Premium

Catarina Carvalho

O populismo na campanha Marques Vidal

Há uma esperança: não teve efeito na opinião pública a polémica da escolha do novo procurador-geral da República. É, pelo menos, isso que dizem os estudos de opinião - o número dos que achavam que Joana Marques Vidal devia continuar PGR permaneceu inalterável entre o início do ano e estas últimas semanas. Isto retirando o facto, já de si notável, de que haja sondagens sobre este assunto.