Dois acusados de homicídio por negligência devido a corrida ilegal de automóveis

Corrida provocou um acidente de viação, do qual resultou um morto e sete feridos

O Ministério Público (MP) acusou dois arguidos de homicídio por negligência e condução perigosa de veículo rodoviário em resultado de uma corrida automóvel ilegal numa das principais artérias da cidade de Lisboa, informou hoje o MP.

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, dois carros circulavam em "competição", não respeitando deliberadamente os sinais vermelhos dos semáforos das várias artérias por onde transitavam, a 19 de novembro de 2015, pelas 04:35, no cruzamento da Avenida da República e a Avenida de Berna, em Lisboa.

Segundo o MP, a corrida provocou um acidente de viação, envolvendo um veículo ligeiro de passageiros e um veículo pesado de passageiros, do qual resultou um morto e sete feridos ligeiros.

Após a colisão, o condutor do veículo ligeiro abandonou o local, fazendo-se transportar num outro carro, que era conduzido pelo segundo arguido.

Os agora acusados respondem ainda pelos crimes de ofensa à integridade física negligente, omissão de auxílio, favorecimento pessoal e sete contraordenações.

O inquérito foi dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, coadjuvado pela Direção de Trânsito da PSP de Lisboa.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...