DGS quer reforçar a vacinação com campanha de outono

Bombeiros e diabéticos vão passar a ter acesso gratuito à vacina contra a gripe

Cartazes, flyers e banners foram distribuídos pela rede de parceiros da Direção-Geral da Saúde - Ministério da Educação, autarquias, instituições do setor privado e social - para que estes ajudem a divulgar o Programa Nacional de Vacinação (PNV). "Estamos a desenvolver uma campanha de outono para reforço da vacinação. Queremos continuar a ter altíssimas taxas de cobertura em Portugal. Não podemos recuar", disse ao DN a subdiretora geral de saúde, Graça Freitas, que ontem anunciou o alargamento da gratuitidade das vacinas contra a gripe a bombeiros e diabéticos.

Não foi por acaso que a sessão de apresentação da campanha de divulgação do Programa Nacional de Vacinação decorreu no auditório da Escola Básica 2,3 Patrício Prazeres, em Lisboa. "Começámos esta campanha em parceria com o Ministério da Educação, para que este tenha um papel pedagógico e de sensibilização junto de professores, pais e alunos. Esta primeira fase é muito virada para a comunidade educativa", explicou ao DN a subdiretora geral da saúde, que pediu aos alunos para serem "embaixadores das vacinas".

Após uma "divulgação ampla e maciça" de cartazes e flyers, a DGS irá passar "pequenos filmes" em juntas de freguesia, centros de saúde e "provavelmente também na rede de cinemas". A ideia é "sensibilizar as pessoas para que tomem decisões esclarecidas". Segundo Graça Freitas, a missão da DGS será facilitada com a entrada em vigor a 100% do Registo Central de Vacinas, uma plataforma nacional que permitirá aceder ao registo das vacinas dos cidadãos em qualquer unidade do SNS.
No final da sessão, a subdiretora geral da saúde confirmou que a vacina contra a gripe vai ser pela primeira vez gratuita para os bombeiros e diabéticos, tendo o Estado adquirido 1,4 milhões de doses, mais 200 mil do que no ano passado, no valor de 3,4 milhões de euros. Segundo Graça Freitas, este alargamento da gratuitidade das vacinas teve em conta os riscos que o frio representa para os diabéticos, nomeadamente de descompensação.

No caso dos bombeiros, a medida visou proteger os próprios e aqueles que assistem e que se encontram com uma saúde mais debilitada. Diabéticos e bombeiros juntam-se, assim, a um conjunto alargado de pessoas para quem a vacina contra a gripe já era gratuita: com 65 ou mais anos, institucionalizadas, integradas na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, apoiadas no domicílio, internadas em unidades de cuidados de saúde primários e em hospitais do SNS com patologias crónicas e condições para as quais se recomenda a vacina. Com LUSA

Exclusivos