Taxistas desmobilizam do Relógio. Próxima ação de luta em Belém

Presidente da ANTRAL comunicou aos taxistas que a polícia iria agir a qualquer momento e anunciou novo protesto para segunda-feira

A manifestação dos taxistas que durou todo o dia desta segunda-feira em Lisboa só terminou já depois das duas horas da madrugada, após os dirigentes das associações terem anunciado uma nova ação de luta, para segunda-feira.

Florêncio Almeida disse aos taxistas que ainda bloqueavam a Rotunda do Relógio que a ação policial estaria iminente e prometeu que na segunda-feira se iriam manifestar em Belém, frente à residência oficial do Presidente da República, pedindo uma audiência a Marcelo Rebelo de Sousa.

Foi o fim de um serão que teve alguns momentos de tensão, com vários taxistas numa primeira fase a recusar abandonar o local.

O dia iniciou-se com a concentração de milhares de taxistas em Lisboa, num protesto contra plataformas de transportes de passageiros como a Uber ou a Cabify. O protesto era para chegar à Assembleia da República, mas estacionou na Rotunda do Relógio cerca das 11:00, quando representantes do setor foram chamados para uma reunião com ministro do Ambiente. Às 16:00, no fim desse encontro, infrutífero, os organizadores anunciaram que não arredariam pé do local até que Governo respondesse às suas exigências.

Ainda da parte da manhã, três taxistas foram detidos e um identificado. Dois estarão envolvidos num ataque a um carro da Uber da parte da manhã - estando suspeitos de crime de dano - um por dano numa viatura da polícia e ainda outro por arremesso de material pirotécnico.

Leia o "filme" do dia:

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.