Desmantelado grupo que assaltava multibancos por explosão

PJ deteve três homens que atuavam na região da Grande Lisboa

A Polícia Judiciária anunciou hoje que desmantelou uma organização criminosa que, a partir da região da grande Lisboa, se dedicava à prática de furtos a caixas multibanco através de explosão.

A operação "Caixa Automática" resultou na detenção de três homens, com idades compreendidas entre os 27 e os 30 anos. Foram ainda apreendidos "relevantes elementos de prova", designadamente cilindros carregados com gás explosivo, baterias, cabos elétricos, mangueiras, diversas partes integrantes de caixas multibanco, armas de fogo, uma delas de calibre de guerra, várias viaturas automóveis e inúmeros objetos produto do crime.

Nesta investigação a Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT), no âmbito de inquérito titulado pelo DIAP de Lisboa, contou com a colaboração da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana, força que interveio na abordagem aos suspeitos.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial para a aplicação da medida de coação tida por conveniente junto do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa

,

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.