Desmantelado grupo que assaltava multibancos por explosão

PJ deteve três homens que atuavam na região da Grande Lisboa

A Polícia Judiciária anunciou hoje que desmantelou uma organização criminosa que, a partir da região da grande Lisboa, se dedicava à prática de furtos a caixas multibanco através de explosão.

A operação "Caixa Automática" resultou na detenção de três homens, com idades compreendidas entre os 27 e os 30 anos. Foram ainda apreendidos "relevantes elementos de prova", designadamente cilindros carregados com gás explosivo, baterias, cabos elétricos, mangueiras, diversas partes integrantes de caixas multibanco, armas de fogo, uma delas de calibre de guerra, várias viaturas automóveis e inúmeros objetos produto do crime.

Nesta investigação a Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT), no âmbito de inquérito titulado pelo DIAP de Lisboa, contou com a colaboração da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana, força que interveio na abordagem aos suspeitos.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial para a aplicação da medida de coação tida por conveniente junto do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa

,

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.