Intoxicação alimentar em escola leva 31 alunos ao hospital

Alunos da escola Sophia de Mello Breyner em Carnaxide assistidos por várias ambulâncias do INEM, que os levaram para vários hospitais (Notícia atualizada)

Um total de 31 alunos da Escola Sophia de Mello Breyner, em Carnaxide, foram transportados para hospitais após a hora de almoço. Os alunos sentiram-se mal após uma intoxicação alimentar, segundo disse à Lusa a diretora do estabelecimento, Teresa Silva.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Carnaxide, Manuel Fonseca, concretizou que as crianças se sentiram indispostas logo após o almoço.

Segundo fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), os alunos foram transportados para os hospitais de S. Francisco Xavier (Lisboa), Amadora-Sintra e da Estefânia (Lisboa). Fonte do Hospital Amadora-Sintra confirmou que, até às 16.10, tinham dado entrada seis crianças, com idades entre os 7 e os 12 anos, numa situação "estável, apresentando dores de estômago".

Fonte do Hospital S. Francisco Xavier indicou, cerca das 16.20, que a unidade recebeu sete crianças com idades entre os 8 e os 14 anos, que "não estão em estado grave e estão a ser hidratadas". Espera-se que tenham alta em breve, segundo a mesma fonte.

Ao todo, foram 43 os alunos que apresentaram estes sintomas mas, após uma triagem no local pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), 12 foram para casa, acompanhados pelos encarregados de educação e familiares.

Com Lusa

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".