Corte de eucaliptos no recinto fecha escola até segunda-feira

EB D. Pedro Varela tem 47 árvores no recinto. Segurança dos alunos durante o processo de corte levou a adiar aulas

O corte de eucaliptos no recinto da escola, levou a direção da E.B. D. Pedro Varela (Montijo) a adiar o início das aulas para a próxima segunda-feira, 18 de setembro. Em causa, está a circulação em segurança dos alunos, funcionários e professores enquanto decorre o corte das árvores.

A direção da escola, que não quis explicar ao DN porque só agora estavam a ser cortados os eucaliptos, adiantou em comunicado disponível na sua página da internet, que o adiamento das atividades letivas decorre "do parecer da Proteção Civil" e "tem em conta a perigosidade de corrente do abate de árvores em si mas também da movimentação de maquinaria pesada no recinto".

Ao DN, a vereadora da educação da Câmara Municipal do Montijo, Maria Clara Silva, explicou que a direção da escola tomou posse em junho, tendo pedido depois uma avaliação das árvores à proteção civil. "O parecer foi de que os eucaliptos teriam que ser removidos. Apresentavam risco de cair, o interior dos troncos estava oco, tinham atingido um tamanho que não apresentada segurança", justificou a vereadora. Depois deste passo, a escola teve de acertar o abate com o Ministério da Educação e decidir quem fazia o trabalho, acrescentou Maria Clara Silva. Os trabalhos começaram na semana passada e acabaram por ser mais demorados do que se previa porque "teve de ser um corte minucioso, porque estavam em cima dos pavilhões e o corte tem que ser faseado", apontou. Ao todo, o recinto tem 47 eucaliptos.

Até amanhã espera-se que o trabalho esteja concluído e que sejam feitos já os trabalhos de limpeza. "Optou-se por solicitar à Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares para que as aulas fossem adiadas e só se iniciassem com todas as condições de segurança garantidas", referiu a responsável pelo pelouro da educação da autarquia local.

Apesar do adiar das aulas, a apresentação dos alunos do 5.º ano decorreu no dia 12, tal como estava previsto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.