Confiança dos portugueses cresce no 2.º trimestre para níveis nunca alcançados

Relatório da Nielsen revela que o índice de confiança dos portugueses atinge 82 pontos em 100, o valor mais alto de sempre em Portugal

A confiança dos portugueses subiu no segundo trimestre deste ano para níveis nunca antes alcançados, tendo o terrorismo sido a preocupação que mais cresceu face ao período homólogo, de acordo com o relatório internacional da Nielsen.

Segundo o "Estudo Global de Confiança dos Consumidores", o índice de confiança dos portugueses subiu 17 pontos face ao período homólogo, atingindo 82 pontos (100 é o grau de otimismo mais elevado), o valor mais alto desde sempre em Portugal, aproximando-se da média da Europa (85 pontos) e acima de países como França (75 pontos), Rússia (70 pontos), Itália (58) e Grécia (52).

"Uma das novidades é que a maioria dos portugueses (51%) já não considera que o país está em recessão económica, revelando-se até, nesta questão, um otimismo superior ao que se observa na média europeia (59% dos europeus acreditam que o seu país está em recessão) ", lê-se no estudo.

O otimismo dos portugueses estende-se às perspetivas profissionais e financeiras, com melhorias em relação ao ano anterior, o que faz com que os consumidores estejam mais disponíveis para o consumo.

Os consumidores portugueses também mudaram os seus hábitos de consumo, mas poupar continua a ser uma prioridade: "após o pagamento das despesas essenciais, 45% optam por utilizar o dinheiro excedente para fazer poupanças".

Os portugueses preocupam-se sobretudo com o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, ao contrário dos restantes europeus, que estão essencialmente preocupados com o terrorismo e questões de saúde.

Mas, ainda assim, a preocupação com o terrorismo é a que tem mais destaque neste trimestre face ao homólogo, ocupando agora a quarta posição nas preocupações dos portugueses.

"Estes resultados fazem-nos acreditar que as melhorias da situação nacional após o período de crise e este sentimento de recuperação tornaram os portugueses mais otimistas, provavelmente por estarem a conseguir recuperar de uma situação muito negativa no passado", considerou Ana Paula Barbosa, responsável da Nielsen Portugal, citada no comunicado.

Este inquérito 'online', a 30.000 inquiridos em 63 países, foi realizado em Portugal entre os dias 20 de maio a 10 de junho, com uma amostra de 499 inquiridos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.