Começou em 1998 e já deu 100.000 voltas à terra

Estação Espacial Internacional deu hoje 100.000.ª volta à Terra

A Estação Espacial Internacional (ISS), modelo de cooperação espacial entre Rússia e Estados Unidos, deu hoje a 100.000.ª volta à Terra desde que foi colocada em órbita, em novembro de 1998, anunciou o Centro de Controlo de Voos (Tsoup).

A 100.000.ª "volta da estação em torno do nosso planeta ocorreu das 07:35 às 09:10 de Moscovo (entre as 05:35 e as 06:10 de Lisboa), declarou o Tsoup, situado perto da capital russa, em comunicado.

A história da ISS, que sucedeu à estação orbital russa Mir, voluntariamente destruída em março de 2001, começou a 20 de novembro de 1998, com a colocação em órbita do primeiro módulo russo, Zaria (Madrugada).

A ISS, cujo custo total, avaliado em 100 mil milhões de dólares (cerca de 88 mil milhões de euros), é em grande parte financiado pelos Estados Unidos, é ocupada em permanência desde novembro de 2000 por tripulações conjuntas designadas como "Expedições" que se rendem, em média, de quatro em quatro ou seis em seis meses.

A estação está em órbita a uma altitude de cerca de 370 quilómetros acima da Terra e efetua uma volta completa ao planeta em pouco mais que 90 minutos, à velocidade de 28.000 quilómetros por hora.

Dezasseis países participaram na sua construção, entre os quais Estados Unidos, Rússia, Japão, Canadá, Brasil e 11 países europeus.

Concluída em 2011, a sua superfície é equivalente à de um grande estádio de futebol. Tem cerca de 88 metros de comprimento e 108 metros de largura e pesa mais de 450 toneladas.

As naves russas Soyouz são os únicos meios para enviar cosmonautas para a ISS desde o fim do programa espacial norte-americano, em 2011.

Mais de 220 "turistas do espaço" de 18 nacionalidades, entre os quais franceses, italianos e alemães, viajaram e estiveram instalados nesse entreposto orbital.

A atual tripulação, a Expedição 47, é comandada pelo norte-americano Timothy Kopra e composta pelo seu compatriota Jeff Williams, pelo britânico Tim Peake e pelos russos Iuri Malenchenko, Alexeï Ovchinin e Oleg Skripochka.

A duração da utilização da ISS foi prolongada no ano passado para, pelo menos, até 2024.

Ler mais

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.