Cogumelos mágicos aliviam a depressão profunda

Os resultados do estudo abrem portas para o desenvolvimento de medicamentos com base nestas substâncias

Um ensaio clínico realizado no Reino Unido demonstrou que os cogumelos alucinogénicos, conhecidos como cogumelos mágicos, aliviaram a depressão profunda em 12 voluntários, e afastaram-na completamente durante pelo menos três meses em cinco deles.

O estudo, publicado na revista científica The Lancet, levou vários anos a realizar e precisou de grande financiamento devido às restrições impostas aos ensaios com este tipo de drogas. Os investigadores da Imperial College London esperam que os resultados do estudo possam ajudar a que um estudo futuro - com uma amostra significativamente maior de voluntários - não enfrente as mesmas dificuldades.

Porque esta investigação contava apenas com 12 voluntários e não tinha nenhum grupo a tomar um placebo para comparar os resultados, a sua credibilidade é limitada, servindo apenas para provar que é necessário investigar mais neste campo.

Os 12 voluntários tomaram duas doses de psilocibina, o ingrediente alucinogénico presente nos cogumelos, com 7 dias de separação entre a primeira e a segunda. Em todos, os sintomas da depressão profunda foram aliviados pelo menos temporariamente, e em cinco deles a depressão permaneceu afastada durante pelo menos três meses sem repetição das doses. Os voluntários tiveram autorização dos seus médicos e foram sujeitos a várias avaliações prévias antes de tomarem a substância.

O investigador Phil Cowen, que não participou no estudo, louvou os cientistas que o realizaram por terem "completado com eficiência e segurança uma investigação clínica importante acerca do efeito da psilocibina na depressão resistente aos tratamentos convencionais, perante inúmeros obstáculos legais e práticos". Num comentário também publicado na The Lancet (esta hiperligação abre em PDF), Cowen acrescentou: "Claro que também são devidos enormes agradecimentos aos participantes".

O investigador que liderou o estudo, Robin Carhart-Harris, da Imperial College London, afirmou esperar que a psilocibina possa ser considerada como possível princípio ativo para futuros medicamentos para aliviar a depressão. "A depressão resistente a tratamento é comum, é debilitante e extremamente difícil de tratar. São necessários novos tratamentos urgentemente, e o nosso estudo da psilocibina é uma área prometedora para investigação futura", disse o investigador, em comunicado.

Exclusivos